<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

8 etapas fundamentais para resolver problemas da rede LAN

  • Categoria:

    Redes

    | Tempo para ler: 4 min

Se as empresas não contarem com as ferramentas certas para solucionar as possíveis falhas, os prejuízos podem afetar toda a produtividade.

 

8 etapas fundamentais para resolver problemas da rede LAN

 

 

A rede de área local (Local Area Network - LAN) é a infraestrutura mais básica entre as que realizam a comunicação entre dois ou mais dispositivos, sendo utilizada pelas empresas, atualmente, com a finalidade de realizar a troca de dados. Ela é formada por um conjunto de hardware e software que permitem os computadores individuais estabelecerem comunicação entre si, trocando e compartilhando informações e recursos.

A LAN corporativa é responsável por interligar muitos elementos do ambiente de trabalho, como impressoras, monitores, servidores, hardwares de armazenamento, equipamentos de rede, entre outros. Os dispositivos na rede são ligados fisicamente por um par de fios de cobre trançados, por fibra óptica ou por pontos de acesso sem fio.

Normalmente, são usadas para cobrir uma área limitada, já que seu alcance é menor do que uma WAN (Wide Area Network), a rede de longa distância. As LANs mais comuns conectam os dispositivos entre si por meio da tecnologia Ethernet, uma camada de links de dados e um protocolo de camada de rede.

A Ethernet é um padrão de transmissão de dados para a rede local. Ela é baseada no princípio de que todas as máquinas estão conectadas a uma mesma linha de comunicação, a qual é feita por um protocolo que autoriza a transmissão de dados a qualquer momento e sem nenhuma prioridade entre elas.

Devido a isso, caso duas máquinas realizem a transmissão ao mesmo tempo, haverá uma colisão. Nessa situação, a comunicação entre elas é interrompida e as máquinas precisam esperar um determinado tempo para poder transmitir novamente. Esse processo tem várias restrições e pode causar diversos problemas para as corporações, que precisam contar com rapidez para o funcionamento de seus dispositivos e para garantir a produtividade de seus colaboradores.

Os erros mais comuns enfrentados pela equipe de TI com o uso da rede Ethernet são os ligados a conexão dos usuários e a redes lentas. Eles possuem três principais fontes, são elas:

- Na camada física: fio de cobre, fibra óptica ou sem fio
Principais causas: cabos danificados, atenuação excessiva do sinal, largura de banda do cabo insuficiente e interface sem fio.

- Na camada de rede: Ethernet e IP
Principais causas: dispositivos de rede danificados, configurações de dispositivos incorretas, problemas com autenticação e associação e insuficiência da largura de banda da rede.

- Interruptores e VLANs (Redes locais virtuais)
Principais causas: utilização excessiva, filiação da VLAN atribuída incorretamente e questões de prioridade do tráfego.

Para resolver essas falhas, a equipe de TI deve realizar algumas etapas básicas:


1 - Identificar a falha. O primeiro passo é ir à fonte do contratempo. A TI deve identificar o dispositivo do funcionário que relatou o problema e descobrir qual operação está demonstrando um comportamento diferente.

2 - Recriar o erro. É necessário compreender seus sintomas e recriar seus passos para identificar o que desencadeou o erro, chegar à sua origem e resolvê-lo.

3 - Isolar a causa. Após identificar a origem da falha, é preciso isolá-la em um único dispositivo, conexão ou aplicativo de software para ser mais fácil solucionar o problema.

4 - Formular um plano de resolução do erro. A TI deve realizar pesquisas sobre as falhas que afetaram os dispositivos para considerar as possíveis soluções.

5 - Implementar o plano de resolução ideal. A solução do erro pode ser feita por meio da substituição do hardware, implementação de um patch de software, reinstalação do aplicativo, limpeza de um arquivo infectado ou, se o problema for na conta do usuário, a realização de ajustes de segurança. A TI deve criar um plano com as práticas ideais que sejam capazes de solucionar o erro específico.

6 - Testar para ver se o erro foi resolvido. Após implementar a solução correta para a falha encontrada, realizar testes para garantir que todo o problema foi resolvido.

7 - Documentar a falha e sua solução. É fundamental documentar os erros encontrados para que se tornem referência para resolver problemas semelhantes no futuro. Além disso, pode ajudar a elaborar relatórios com as falhas mais comuns para gerenciar e treinar novos usuários de rede e membros da equipe de suporte.

8 - Fornecer feedback aos usuários. Auxilia os usuários a ficarem atentos e denunciarem situações parecidas no futuro, melhorando assim o desempenho da rede.

A equipe de TI deve sempre estar atenta ao funcionamento da rede e contar com ferramentas de identificação e solução dos principais problemas da rede LAN, de forma que as falhas não consigam interromper seu funcionamento e gerar impactos negativos na produtividade da corporação. É importante realizar o treinamento adequado dos colaboradores e da equipe de suporte. Assim, é possível criar um planejamento de solução de problemas sólido e eficiente.

 

 

Saiba como

Posts relacionados

Como a tecnologia 5G irá transformar o Data Center?

A conectividade 5G introduz a ideia da metodologia “muitos para um” no que se refere à conectividade sem fio.

  • Redes | Tempo para ler: 3 min

O que é monitoramento proativo de redes e quais seus benefícios?

As empresas se tornaram dependentes da disponibilidade de seus sistemas. Uma simples falha pode prejudicar seus serviços, causando graves prejuízos financeiros.

  • Redes | Tempo para ler: 3 min

Por que a rede é a última fronteira da automação de TI?

Apesar de a maioria das empresas ainda gerenciar suas redes de forma manual, isso tende a mudar muito em breve.

 

Escreva seu comentário