<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

7 principais tendências de infraestrutura de TI para os próximos anos

Os líderes precisam se preparar para a transformação digital que está acontecendo.

 

O Gartner destacou as principais tecnologias e tendências que os líderes de infraestrutura e operações para os próximos anos. A Infraestrutura e operações (I&O) estão se tornando cada vez mais envolvidos em várias áreas da empresa moderna.

O foco dos líderes de I&O não é mais apenas entregar engenharia e operações, mas sim, fornecer produtos e serviços que suportem e permitam a estratégia de negócios de uma organização. Como podemos usar recursos como Inteligência Artificial (IA), automação de rede ou computação de ponta para suportar infraestruturas em rápido crescimento e atender às necessidades de negócios?

Os líderes de infraestrutura e operações precisam se preparar para a transformação digital quem está vindo. Confira as principais tendências que impactam a infraestrutura e as operações de TI nos próximos anos:

1. Computação sem servidor

A computação sem servidor (Serveless) é um padrão de arquitetura de software emergente que promete eliminar a necessidade de provisionamento e gerenciamento de infraestrutura. Os líderes precisam adotar uma abordagem centrada em aplicativos para computação sem servidor, gerenciamento de APIs e SLAs, em vez de infraestruturas físicas.

Os servidores ainda existem, mas o provedor de serviços é responsável por todos os recursos subjacentes envolvidos no provisionamento e dimensionamento de um ambiente de tempo de execução, resultando em agilidade atraente. O Serverless não substitui contêineres ou máquinas virtuais, por isso é fundamental saber como e onde usar a tecnologia.

2. Impactos da Inteligência Artificial

O valor da IA ​​está aumentando. Ela tem o potencial de ser transformacional e está no centro dos negócios digitais, cujos impactos já são sentidos nas organizações. De acordo com a Gartner, o valor comercial global derivado da IA ​​alcançará quase US $ 3,9 trilhões até 2022.

3. Agilidade de rede (ou falta de?)

A rede sustenta tudo o que a TI faz - serviços em nuvem, Internet das coisas (IoT), serviços de borda - e continuará a fazê-lo no futuro. Não é apenas um exercício para manter as luzes acesas!

As equipes estão sob pressão para garantir que a disponibilidade da rede seja alta e, como tal, a cultura da equipe é muitas vezes limitar a mudança, mas ao redor da equipe da rede as demandas por agilidade aumentaram.

As demandas na rede devem crescer com o advento do 5G, aumentando a maturidade das nuvens e a explosão no número de dispositivos IoT. Estas são apenas algumas das pressões que os líderes devem antecipar.

4. Morte do Data Center

O Gartner prevê que, em 2025, 80% das organizações migrarão totalmente dos data centers locais para a hospedagem em nuvem, levando-os a encerrar seu data center tradicional.

Os líderes de I&O devem se preparar para colocar cargas de trabalho com base nas necessidades de negócios, não limitadas pela localização física. Desde a colocação até a nuvem pública - existem muitas alternativas para os data centers locais.

Eles devem identificar se existem razões verdadeiramente estratégicas para persistir com as necessidades locais, especialmente quando consideram que a quantidade significativa de investimento envolvida é muitas vezes amortizada ao longo de muitos anos. As preparações devem começar agora, pois o período crítico para isso é 2021 a 2025.

5. Computação de borda

IoT e tecnologias imersivas levarão mais processamento de informações ao limite, redefinindo e reformulando o que os líderes precisarão implantar e gerenciar. A vantagem é a localização física onde as coisas e as pessoas se conectam com o mundo digital em rede, e a infraestrutura vai cada vez mais chegar ao limite.

A computação de borda faz parte de uma topologia de computação distribuída em que o processamento de informações está localizado próximo à borda, que é onde as coisas e as pessoas produzem ou consomem essas informações. Ele toca nas leis da física, economia e terra, que são fatores que contribuem para como e quando usar borda.

Esta é outra tendência que não substitui a nuvem, mas aumenta isso. O prazo crítico para as organizações adotarem essa tendência é entre 2020 e 2023.

6. Mais tecnologia nos provedores de serviços

Os MSPs estão agora pensando mais em como a tecnologia pode, estrategicamente, permitir que as empresas melhorem a produtividade e entrem em novos mercados.

Os provedores de serviços gerenciados da próxima geração irão, além de suportar a infraestrutura de tecnologia e tentar resolver os problemas existentes, reduzir os custos operacionais e de hardware, evitar o tempo de inatividade e aumentar a segurança. As empresas estão exigindo agilidade para permanecer competitivas e permanecer inovadoras.

7. Negação de software como serviço (SaaS)

SaaS é um software que pertence, é entregue e gerenciado remotamente por um ou mais provedores. O provedor fornece software com base em um conjunto de códigos comuns e definições de dados que são consumidos em um modelo um-para-muitos por todos os clientes contratados a qualquer momento em uma base de pagamento por uso ou como uma assinatura baseada em métricas de uso.

A partir de 2019, o SaaS terá um grande impacto na forma como as organizações analisam as estratégias de entrega de infraestrutura no futuro. No entanto, a maioria dos líderes de I & O ainda está focada em infraestrutura como serviço e plataforma como soluções de serviços.

Posts relacionados

As 6 principais tecnologias emergentes que estão dominando 2019

Tecnologias que mudam o mundo e estão prontas para apoiar sua revenda e a sua carreira em TI para novos projetos.

Software de gerenciamento de projetos em TI: o que considerar antes de investir?

Esses softwares ajudam as empresas a atingir suas metas e objetivos corporativos.

Dia mundial do Blog: uma data cheia de significados

Confira nosso infográfico comemorativo e conheça os números que marcaram a trajetória do Canal Westcon até hoje.

Escreva seu comentário