<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

8 dicas para não ter prejuízo com a migração para Nuvem

Para que seja bem-sucedido e gere lucros para os negócios, esse processo deve ser realizado com alguns cuidados. Entenda melhor o assunto a seguir!

 

Devido ao aumento da geração de dados e do uso de tecnologia no ambiente de trabalho, as empresas precisaram modernizar seus modelos de negócios para serem capazes de lidar com esse novo fluxo de informações e oferecer soluções apropriadas para que seus colaboradores sejam capazes de realizar suas atividades de forma mais ágil e flexível.

O armazenamento na Nuvem é uma tendência que vem sendo adotada para suprir essas novas demandas. Essa tecnologia vem alterando a forma como as empresas trabalham e realizam a gestão de suas informações.

Por meio da adoção de Cloud Computing, uma empresa consegue realizar um melhor armazenamento e processamento de seus dados e otimizar a execução de processos, rotinas e programas sem que seja necessário contar com infraestruturas físicas tradicionais.

No entanto, para que seja possível aproveitar todos esses benefícios e as demais funcionalidades da Cloud, é necessário realizar uma migração bem planejada e garantir que os recursos de computação em nuvem sejam confiáveis, seguros e escalonáveis.

Quer saber como aproveitar todos os recursos da Cloud Computing sem ter prejuízos nos negócios? Confira as dicas a seguir!

8 dicas para não ter prejuízo com a migração para Nuvem

Realizar a migração para Nuvem é um processo cada vez mais frequente entre as empresas. No entanto, para ter sucesso, a empresa precisa seguir algumas dicas. Confira quais são elas:

1. Escolher o modelo adequado

Um dos principais erros que pode gerar grandes prejuízos financeiros para o empreendimento, é optar pelo modelo inadequado de Nuvem. Portanto, ao escolher um servidor, a empresa precisa saber se ele é capaz de suportar todas as suas soluções.

É necessário identificar todas as demandas da organização e verificar qual é o modelo adequado para suprir todas as necessidades do negócio. Certifique-se de que os limites de armazenamento e backup não excedem o estabelecido nos níveis de SLA acordados.

2. Realizar a migração gradualmente

Outra forma de evitar desperdícios é reduzir os custos de transferência de dados. Para isso, é preciso checar se o local de armazenamento e os serviços de computação estejam na mesma região, pois a transferência de dados pode ser cobrada.

Cada opção de servidor no mercado conta com um valor de transferência disponível para uso. Há opções com taxas fixas e também aqueles que cobram como serviço adicional quando o limite é excedido.

Por isso a empresa deve se preparar para fazer uma migração gradual e economizar com esses valores. É possível ainda, em casos de aumentos previstos na demanda, contratar pacotes de transferência adicionais com valores menores.

3. Excluir ou migrar arquivos não utilizados

Por meio da arquitetura em Nuvem, é possível configurar regras de exclusão ou migração de arquivos para gerenciar o ciclo de vida dos dados. Isso é essencial para economizar com dados que se tornam obsoletos ou não são mais utilizados.

É possível programar para que essas informações sejam migradas para outro tipo de armazenamento ou até mesmo excluídas para economizar espaço e utilizar taxas mais baratas.

4. Compactar dados antes do armazenamento

Uma excelente forma de reduzir os custos com a migração de dados é realizar a compactação deles. Por meio de algoritmos de compressão rápida é possível reduzir os requisitos de armazenamento necessários.

5. Projetar cargas de trabalho para escalabilidade

A escalabilidade é uma característica indispensável da Cloud Computing para as empresas, principalmente aquelas que lidam com variações constantes em suas demandas. Quando algum requisito aumenta, é fundamental que os recursos adicionais sejam liberados rapidamente.

Portanto, para não perder dinheiro com a migração, você deve estimar quais serão as demandas da empresa no futuro e qual tamanho o bancos de dados precisa ter para atendê-las.

Por meio da escalabilidade é possível acompanhar essa projeção de crescimento ao invés de contratar capacidades iniciais que não serão utilizadas por um longo período de tempo.

6. Usar o escalonamento automático

Por meio do escalonamento automático é possível dimensionar os recursos quando não forem identificadas atividades em execução. Assim, a empresa consegue economizar quando os recursos estiverem desligados à noite, em finais de semana e até mesmo em períodos de lentidão.

7. Implementar soluções de automação

A automação é uma grande aliada das empresas que não querem ter prejuízos com a migração para Nuvem. Por meio dela, é possível reduzir despesas operacionais, eliminar processos manuais e simplificar operações de TI. Assim, a equipe pode se focar em tarefas mais importantes e trazer mais agilidade e eficiência para a organização.

8. Investir em soluções de segurança

Por último, podemos citar a necessidade de se investir na segurança das informações que serão migradas. Ao escolher um servidor em Cloud é fundamental verificar quais são as soluções de proteção oferecidas para evitar a violação e perdas de dados e os possíveis prejuízos que isso pode causar para os negócios.

Para isso, analise a capacidade de segurança do provedor, avalie quais são as defesas perimetrais, as configurações de rede, conformidade, requisitos de autenticação, criptografia e outros.

Quando a migração para Nuvem é feita da forma correta, é possível evitar prejuízos e garantir inúmeros benefícios para a organização. Esse processo pode facilitar o trabalho dos colaboradores, trazer maior segurança e lucratividade para os negócios.

Posts relacionados

7 estratégias para escolher corretamente um fornecedor de Cloud Computing

Existem algumas práticas importantes a serem seguidas para manter seus dados e sua empresa protegidos contra danos.

4 erros na migração de dados que as empresas devem evitar

Esse processo traz muitas vantagens para os negócios, no entanto, quando realizado de forma inadequada, pode gerar grandes prejuízos.

Cloud Computing e Internet das Coisas: qual a relação dessas tecnologias?

Quando trabalhadas juntas, essas duas tendências são capazes de aprimorar os processos corporativos e auxiliar no crescimento dos negócios.

Escreva seu comentário