<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

Saiba como funcionam os 5 principais tipos de ataques DDoS e como evitá-los

Conhecer a forma como essas ameaças agem e quais as medidas necessárias para se prevenir contra elas é a melhor opção para proteger todo o sistema corporativo. 

 Nos últimos anos, os ataques de negação de serviços (DDoS) tornaram-se uma prática muito comum utilizada por hackers contra sites e serviços na Web. Eles são diferentes tipos de ataque que exploram os próprios mecanismos de protocolo da rede para sobrecarregar servidores e impedir os acessos.

Graças às novas tecnologias existentes no ambiente corporativo, como o aumento do uso de dispositivos de Internet das Coisas que podem hospedar malwares maliciosos sem que os usuários percebam, novas brechas foram abertas para esse tipo de ataque.

Embora essa ameaça já exista há muito tempo, ela está evoluindo e se tornando mais complexas e, quando bem-sucedida, pode causar grandes prejuízos para as empresas.

Por isso, é fundamental conhecer os principais tipos de ataques DDos para proteger seus clientes. Confira a seguir como eles funcionam.

New call-to-action

O que é um ataque DDoS?

O Distributed Denial of Service (DDoS) é um ataque distribuído de negação de serviço que tenta esgotar os recursos de rede, aplicação ou serviço para evitar que os usuários consigam acessar ambientes online.

Ele envia múltiplas solicitações para o recurso Web invadido para exceder a capacidade do site de lidar com diversas requisições ao mesmo tempo e, assim, prejudicar seu funcionamento.

Os principais alvos dos ataques DDoS são sites de compras onlines, mas eles também podem atingir qualquer empresa que dependa do fornecimento de serviços onlines.

Esses ataques representam uma grande ameaça para os negócios, pois, ao causarem indisponibilidade nos serviços corporativos, podem fazer com que as empresas percam audiência e receita.

Além de ter os serviços paralisados e interromper as vendas e rotinas corporativas, a empresa acaba perdendo a credibilidade perante seus clientes e parceiros comerciais, pois estes terão menos confiança na capacidade da organização fornecer serviços de qualidade.

Portanto, é crucial que todas as organizações estejam preparadas para lidar com essa ameaça. Para isso, é necessário conhecer os tipos de ataques de DDos existentes e saber como eles funcionam.

Quais os tipos de ataques DDoS?

Existem hoje alguns tipos diferentes de ataques DDos realizado por hackers, por isso é importante conhecer detalhadamente cada um deles. Confira a seguir os principais:

1. Volumétrico

Esse tipo de ataque DDoS é o mais comum e simples de todos. Ainda que seja caracterizado por uma enorme quantidade de tráfego, ele não precisa de grandes quantidades para ser gerado.

Eles direcionam solicitações legítimas para um servidor DNs ou NPT usando um endereço IP de origem falsificado e, quando os servidores respondem à solicitação, acabam servindo ao endereço de origem da solicitação que é o endereço IP falsificado.

Dessa forma, as vítimas são atingidas por um grande tráfego em curto prazo, bloqueando a banda disponível.

2. UDP Flood

Nesse ataque, os hackers enviam um grande grupo de pacotes UDP (User Datagram Protocol) para invalidar o acesso aos serviços em portas aleatórias do servidor de destino, o qual precisa responder a todos eles.

Dessa forma, o servidor direciona muitos recursos para enviar respostas válidas aos pedidos maliciosos.

3. NTP Flood

Semelhante ao ataque anterior, esse tipo de DDoS explora algum tipo de protocolo de rede, mas nesse caso, os criminosos enviam pequenos pacotes de dados capazes de acionar o NTP (Network Time Protocol) mesmo com IPs falsos.

Assim, quando o alvo tenta dar sentido a esse enorme fluxo de solicitações, acaba esgotando os recursos e necessitando de reinicialização.

4. SYN Flood

Gerado por botnets, essa ameaça consome os recursos do servidor e bloqueia sua memória de conexão, impedindo o acesso de solicitações legítimas aos recursos de rede.

Ele explora o Protocolo de Controle de Transmissão (TCP) para sobrecarregar o sistema de destino com várias portas com mensagens SYN solicitando a inicialização de conexões.

5. Layer 7

Direcionado a um tipo específico de aplicação, o Layer 7 explora vulnerabilidades muitas vezes desconhecidas pelos usuários. Ele consegue simular conexões legítimas dificultando sua detecção.

Como evitar esses tipos de ataques DDoS?

Para se proteger contra essas ameaças, as empresas precisam combinar algumas medidas de segurança. Confira quais são elas:

1. Monitoramento da rede: é crucial ter à disposição uma equipe preparada para realizar a gestão da rede corporativa de forma contínua. Dessa forma, é possível contar com uma visão completa do ambiente, permitindo detectar esse tipo de ataque para tomar as medidas de mitigação necessárias.

2. Conexão reserva: como os ataques DDoS prejudicam a disponibilidade dos serviços, uma solução para controlar o problema é contar com uma conexão reserva. Assim, a empresa pode redirecionar o tráfego para uma nova rede, até solucionar o problema.

3. Plano de defesa: ao conhecer todos os tipos de ataque, sua empresa deve montar um plano com as medidas necessárias para se prevenir contra os ataques e as ações para quando ele acontecer. É necessário criar um documento com medidas bem estruturadas para lidar com todos os possíveis riscos de um ataque DDoS.

4. Ferramentas de proteção contra DDoS: a frequência desse tipo de ataque está cada dia maior, por isso, é importante contar com ferramentas especializadas para proteger os usuários. Com elas, é possível identificar automaticamente o aumento de fluxos de acessos para avaliar as conexões suspeitas e assim, bloquear rapidamente atividades maliciosas.

A proteção contra ataques DDoS deve ser um processo recorrente na empresa. Contar com equipamentos especializados e uma equipe direcionada são medidas cruciais para evitar que essa ameaça invada os sistemas de sua organização. Por isso, é importante adotar medidas básicas de segurança para ter uma proteção bem-sucedida.  

Posts relacionados

6 características que um bom gestor de segurança da informação deve ter

Como visão estratégica, liderança e outras características podem contribuir para o sucesso do trabalho de um gestor?

3 tendências de segurança da informação para o futuro

Cloud Computing, Internet das Coisas e Machine Learning podem revolucionar a segurança da informação.

4 dicas para uma gestão de riscos eficiente

Saiba como gerenciar os riscos de forma mais eficiente, garantindo o sucesso do seu negócio.

Escreva seu comentário