<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

Qual a importância do monitoramento na era da Internet das Coisas?

A Internet das Coisas é uma realidade cada vez mais presente. Onde ela nos levará e qual será sua segurança, dependerá da eficiência de seu monitoramento.

 

Qual a importância do monitoramento na era da Internet das Coisas?

 

 

Basta dizer que se trata de um monitoramento contínuo para entender como é importante essa vigilância na era da Internet das Coisas, ou Internet of Things (IoT), como é conhecida mundialmente.

A IoT é uma tecnologia capaz de fazer o monitoramento de todo tipo situação através da captação de dados, fazendo uso de microchips e sensores posicionados nos lugares corretos e evoluindo para uma interação máquina-a-máquina (M2M).

 

Assim, torna-se dispensável a direta participação de humanos em alguns processos rotineiros, possibilitando o aumento de produtividade e velocidade, e a diminuição de erros, o que resulta em economia direta para as empresas. Além disso, é possível obter importantes informações de comportamento dos consumidores, outro recurso valioso para as empresas.

Em um de seus primeiros usos, ainda na década de 80, antes mesmo de receber o nome de Internet das Coisas, esta tecnologia foi instalada em uma máquina de refrigerantes, informando - a distância - dados de temperatura e estoque.

 

À época, havia uma limitação nos números de Protocolos de Internet (IP), identidade necessária a qualquer dispositivo para se conectar à rede mundial de computadores. Por isso, a IoT levou certo tempo para deslanchar. Atualmente, contudo, após o início da implantação do IPv6 (6ª versão do protocolo), multiplicou-se em milhões de vezes a capacidade de registros de endereços IP.


O uso da Internet das Coisas

As aplicações da IoT podem ser as mais variadas, a depender da criatividade dos gestores. Pode ser usada nos veículos em seus sistemas de navegação ou apenas para informar a pressão dos pneus ou o peso da carga. Mas a mesma tecnologia pode ser aplicada à agricultura, com uso de sensores de temperatura e umidade, e acesso a projeções meteorológicas, possibilitando uma melhor irrigação, por exemplo.

 

Atualmente, o uso se estende comumente às máquinas de cartões de crédito, aos ares-condicionados, que até aprendem a rotina de uso de uma família, às fechaduras eletrônicas, às automações residenciais e aos sistemas de segurança. Na indústria, a IoT já é muito utilizada para reportar as condições de máquinas e equipamentos utilizados no processo produtivo, auxiliando na manutenção preditiva e nas programações de intervenção.

O futuro da Internet das Coisas propõe, portanto, aplicações inimagináveis, mas também requer uma série de cuidados que, somente com eles, será possível ter o melhor da IoT.

 

 

Conheça a ForeScout

 


O desafio do monitoramento contínuo

Com o aumento exponencial na capacidade técnica e de geração de dados, que está a cada segundo coletando novas informações, empresas têm investido pesado para conseguir compreender esses dados, identificar padrões e até em extrair insights, tornando tudo cada vez mais inteligente.

 

Um estudo da empresa britânica Vodafone, feito em 2017, mostrou que 29% das empresas espalhadas pelo mundo já utilizavam a tecnologia IoT no último ano. Em 2013, a adoção era de apenas 12%.

Neste universo de possibilidades, tecnologias como machine learning e big data ganham destaque. Além disso, é necessário que profissionais do setor também se preocupem com a segurança, privacidade e confiabilidade destas informações, pilares fundamentais para o bom uso da IoT.

A cada dia, bilhões de dispositivos conectados aumentam o uso de software e de dados em ativos empresariais e gadgets de consumidores, uma porta para hackers mal-intencionados. Os dados coletados são enviados para servidores. É por isso que o uso de backups, instalação de sistemas antivírus e boas práticas de acesso à informação são premissas para assegurar a qualidade de todo sistema IoT.

Como a Internet das Coisas também faz uso de nuvem, também é importante que gestores destes dados se preocupem com sua segurança e criptografia, com códigos cada vez mais difíceis de quebrar, tornando o uso cada vez mais seguro.

 

Outro ponto que merece atenção na estratégia de segurança digital é o gerenciamento do ciclo de vida dos componentes de segurança. O uso de novos componentes, que estejam sempre acompanhando a tecnologia da IoT, e o descarte ao fim de sua vida útil também são importantes para downloads seguros de firmwares e softwares.

Uma coisa é certa: a Internet das Coisas deu início a uma nova era de serviços baseados na internet. Estudá-la e acompanhá-la vai, sem dúvidas, mudar o seu jeito de viver o futuro.

Posts relacionados

Gestão de custo em TI: o que é e como economizar?

É preciso ter orçamento, planejamento e uma dose de iniciativa.

Guia prático para uma gestão de TI eficiente após a era digital

Ter gerenciamento de TI é fundamental para o bom funcionamento do departamento dentro das empresas.

Gestão de qualidade em TI: como aplicar e ter sucesso?

Por meio desse processo, as empresas conseguem garantir maior qualidade em suas entregas e, consequentemente, otimizar a satisfação de seus clientes. Saiba como aplicá-la para conquistar maiores resultados. 

Escreva seu comentário