<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.
  • Partner Portal
  • Maior desempenho e redução de custos com armazenamento Flash
  • Baixar agora
  • Free Trial SEP Cloud - Alta proteção de endpoints com uma solução intuitiva. Ofereça já para seus clientes.
  • Partner Portal
  • Maior desempenho e redução de custos com armazenamento Flash
  • Baixar agora
  • _banner-home-mobile_-symantec-sep-cloud.png

Qual a importância da Governança de Dados no backup na Nuvem?

Postado por Equipe Westcon em 17/mai/2018 5:00:00

Assegurar que colaboradores e usuários acessem seus dados de qualquer lugar é o objetivo dos profissionais da área de TI. O desafio, contudo, é garantir que esses dados não sejam acessados indevidamente. Mas afinal, como controlar? 

 

Qual a importância da Governança de Dados no backup na Nuvem?

 

 

O backup está para os profissionais de TI assim como os seguros estão para as pessoas: ninguém quer usar, mas é fundamental tê-los frente a qualquer tipo de adversidade. No caso dos backups, em uma realidade de dispositivos portáveis e da tecnologia na Nuvem, existem cada vez mais opções disponíveis no mercado, capazes de armazenar as informações de forma segura, com boa acessibilidade e velocidade.

Entretanto, apenas a disponibilidade das informações no backup na Nuvem não gera a necessária conformidade e produtividade a algumas empresas. Neste casos, é preciso que os amplos recursos de Governança de Dados também se apliquem remotamente.

Por meio deles, é possível fazer o gerenciamento adequado das informações, como sua correta disponibilidade entre os usuários, seu uso otimizado e ter sua segurança garantida. Assim, é possível obter mitigação de riscos, aumento de desempenho e análises corretas e, por conseguinte, alcançar custos reduzidos.

Resumidamente, é como mesclar os objetivos distintos de ter um backup e todas as suas redundâncias, com os benefícios de serviços storage na Nuvem. Leia mais sobre as diferenças entre eles clicando aqui.

Profissionais de TI querem assegurar que colaboradores acessem seus dados de qualquer lugar, mas - ao mesmo tempo – esperam que esses dados não sejam acessados indevidamente, seja por roubo de um notebook, tablet ou celular, por exemplo. É por isso que se faz necessário que a área de TI tenha visibilidade e controle de políticas sobre os dados corporativos que estão nestes equipamentos, garantindo que eles sejam criptografados e salvos na Nuvem automaticamente.

 

Confira

Assim, em situações de emergência, é possível apagá-los remotamente dos dispositivos. Além disso, é necessário agilidade no processo de restauração de dados em novos equipamentos, que só é possível por meio de políticas de acesso aos dados.

Após ampla análise do acesso aos dados, é possível que se conclua que, em redes LAN, o backup seja feito automaticamente junto aos outros dados da empresa. Mas, caso o acesso seja remoto, esses dados precisam subir diretamente dos dispositivos para a Nuvem.

A seguir, confira algumas ações que são necessárias para manter o correto backup, de acordo com as necessidades da empresa que você trabalha ou atende:


DEFINA QUAIS DADOS PRECISAM SER COPIADOS

Os dados não possuem a mesma importância para as empresas. Por isso, avalie e determine a necessidade de armazenamento de cada setor, assim como o tempo que eles devem ficar armazenados. Afinal, espaço de backup é igual a dinheiro, e desperdícios não são uma opção em empresas competitivas.


DETERMINE ONDE OS DADOS SERÃO COPIADOS

A Nuvem tem ganhado espaço entre os profissionais da área de TI. São seguras e rápidas para recuperação de dados. No entanto, as empresas podem investir internamente, em servidores de redundância ou por meio do uso de outras tecnologias, como fitas ou discos de armazenamento.

 

Considere o acesso remoto e a Governança de Dados para ajudar na escolha adequada. Lembrando que, caso seja a Nuvem, a escolha de Data Centers que oferecem recursos de criptografia de dois fatores pode ser a melhor saída. Assim, mesmo que essas empresas sejam pressionadas por agências de controle federal, como a americana NSA, para fornecer as chaves de criptografia (e isso pode não ser uma escolha das empresas provedoras), seus dados estarão seguros, com a confidencialidade mantida.


QUAL A ROTINA DE BACKUP?

Escolher o tempo em que os backups serão feitos, como serão feitos e por quem, também são ações necessárias para manter a boa gestão de dados redundantes. Além disso, determine políticas de emergência, caso algum dispositivo falhe e seja necessário a recuperação imediata das informações. O uso correto das informações, ainda, só será possível assegurar com análises periódicas, conseguidas através de relatórios de acesso e armazenamento. Atenção aos números incomuns.

Definir uma política de backup junto à Governança de Dados pode ser uma tarefa árdua e bastante demorada. Mas, esta deve ser uma das primeiras medidas definidas pela equipe de TI, já que está alinhada diretamente com as estratégias da empresa. Além disso, pode ser muito mais caro mudar a estratégia de governança após a perda de dados e informações confidenciais, o que reflete na imagem da empresa e na confiança que os clientes depositam nela.

 

Categoria(s): Cloud Computing, Governança de TI