<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Markeplace
  • Free Trial SEP Cloud - Alta proteção de endpoints com uma solução intuitiva. Ofereça já para seus clientes.
  • Partner Portal
  • Mantenha os dados seguros em tempos de Transformação Digital - Fortinet
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • _banner-home-mobile_-symantec-sep-cloud.png
  • Mantenha os dados seguros em tempos de Transformação Digital - Fortinet

Qual a importância da gestão de vulnerabilidades?

Postado por Equipe Westcon em 10/mai/2017 5:00:00

Essa estratégia pode limitar a exposição da rede a ataques e é essencial para a segurança dos dados corporativos.

 

Qual a importância da gestão de vulnerabilidades?

 

Vulnerabilidades nos sistemas de TI são portas abertas para invasores comprometerem dados sigilosos da empresa de seus clientes. Por isso, um programa de gerenciamento dessas fraquezas torna-se fundamental em corporações que mantêm seus ativos, sistemas e aplicações internamente.

O sistema de gestão deve varrer a infraestrutura interna e externa para identificar e classificar as vulnerabilidades, além de oferecer etapas para corrigir as ameaças. Ela permite que a tomada de decisão sobre as questões de segurança seja mais assertiva, pois com as informações essenciais reunidas, a TI consegue encontrar as melhores estratégias para evitar ataques e falhas.

De onde se originam as vulnerabilidades?


- Falhas humanas: muitas vezes, os próprios usuários podem fazer alguma atividade indevida, por pressa ou falta de atenção, e acabam executando arquivos maliciosos que podem facilitar que criminosos invadam o sistema.

- Erros de programação: muitas vezes, o erro pode acontecer devido o tamanho do buffer, região da memória do sistema reservada para a leitura e escrita de dados, não verificado.

- Problemas na configuração: é necessário que aplicações de segurança, como firewalls, sejam configuradas de forma correta para não deixar brechas para o cibercrime.

Quais as funções da gestão de vulnerabilidades?


- Detectar e corrigir falhas de softwares que possam acarretar em riscos na segurança, na funcionalidade e no desempenho do sistema;
- Identificar novas soluções de segurança e realizar suas atualizações;
- Alterar as configurações de programas para torná-los mais eficientes e menos vulneráveis;
- Implantar mecanismos para realizar o bloqueio de ataques constantes;
- Focar na melhoria constante do sistema de segurança de dados corporativos;
- Preencher automaticamente os registros de ativos para manter o controle do grau de gravidade e os status regulados.

Fatores essenciais para uma gestão eficiente

- Profissionais: deve ser escolhida a equipe que irá trabalhar na segurança de softwares. O suporte técnico precisa fazer parte desse grupo para ajudar na detecção de falhas;
- Tecnologia: adotar ferramentas eficientes para executar testes de avaliação de segurança nas aplicações e nos servidores com recursos de gerenciamento de processo;
- Metodologia: definir os ambientes a serem testados, análise de resultados, o encaminhamento dos relatórios e acompanhamento das melhorias.

Como eliminar os riscos?


Primeiramente, é essencial criar uma política de gerenciamento. Os processos precisam ser implementados de forma eficiente. Além disso, a TI deve mapear os problemas com soluções automatizadas que realizam o escaneamento de vulnerabilidades.

Os sistemas de gerenciamento ainda permitem a instalação remota de softwares desatualizados e a criação de uma matriz de risco, que identifica os problemas mais críticos para priorizá-los no momento de correção.

Para manter um sistema eficaz de gestão de vulnerabilidades, a TI precisa determinar quais os bens da empresa precisam ser protegidos. Esses elementos devem ser classificados de acordo com o seu nível de criticidade.

Além disso, o planejamento de riscos deve levar em conta o tamanho da empresa, a quantidade e a complexidade das aplicações web, os indicadores de nível de riscos, as oportunidades de testes e os custos envolvidos.

Assim, as ferramentas de varredura podem ser executadas de forma automática em todos os sistemas frequentemente. Isso irá permitir que os proprietários dos ativos acompanhem o progresso dos esforços de detecção e correção dos novos riscos com base nas informações recolhidas.

 

Saiba Mais

Categoria(s): Gerenciamento, Segurança