<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

Qual a função do access point na rede corporativa?

  • Categoria:

    Redes

    | Tempo para ler: 3 min

Esse equipamento pode melhorar a experiência do usuário, ajudando funcionários e clientes a acessarem dados empresariais, o que irá agilizar os negócios.

 

28_06_Blog_West-[700x165].png

 

Em uma rede de área local sem fio (WLAN), um access point (ponto de acesso) é uma estação que transmite e recebe dados. Ela conecta usuários dentro da rede e também pode servir como ponto de interconexão entre a WLAN e uma rede fixa.

Cada ponto de acesso pode atender a vários usuários dentro de uma área definida, à medida que as pessoas se movem para além do alcance desse ponto de acesso, são automaticamente transferidas para o próximo. O número necessário de pontos aumenta em função da quantidade de usuários da rede e do tamanho físico dela.

Eles têm se tornado cada vez mais essenciais nas empresas como opção de acesso à rede corporativa, pois a implantação de uma WLAN interligada por pontos de acesso é mais prática e economiza o trabalho de instalação.

Sua principal função é transformar o sinal que recebe por cabo em um sinal sem fio, ou seja, uma rede em que aparelhos possam se conectar e se comunicar com os demais equipamentos interligados de forma cabeada ou sem fio, e conseguem compartilhar arquivos e utilizar a internet desde que estejam configuradas.

Há várias formas de configurar um access point, o que irá depender dos serviços que serão utilizados pelos dispositivos. Caso a empresa não saiba quais as funções são necessárias a seu negócio, a tarefa da sua revenda será complexa e trabalhosa, pois como os dispositivos são versáteis demais, oferecem dezenas de configurações para cada um dos modos de operação. Isto muitas vezes torna confuso escolher a configuração desejada.

Pontos de acesso de nível comercial podem ser instalados em qualquer lugar e conseguem lidar com diversas conexões simultâneas. Ao instalá-los em toda corporação, os usuários podem se locomover livremente sem sofrer com interrupções na rede. À medida que se movem no prédio, seus dispositivos se deslocam prontamente de um ponto para outro sem perder a conexão.

Antes de escolher um ponto de acesso, confira algumas características que devem ser avaliadas:


Potência: é a quantidade de energia de radiofrequência propagada pelo equipamento. Quanto maior a potência, maior a distância que o sinal conseguirá alcançar e ultrapassar com mais facilidade possíveis barreiras no ambiente, como paredes, andares, entre outros obstáculos.

Sensibilidade: está relacionada à capacidade do equipamento em captar o sinal do Wi-Fi emitido por outro dispositivo. Quanto melhor for, será mais fácil de captar o sinal, pois ele poderá replicar o sinal de internet recebido de outro dispositivo e aumentar a área de alcance do sinal Wi-Fi.

Processadores: são os componentes que determinam a velocidade do fluxo de dados do equipamento. Quanto mais potente forem, mais rápido será o processamento das informações e a velocidade da rede, pois o fluxo que chega ou parte via Wi-Fi será tratado de forma mais ágil.

Segurança: importante para impedir o acesso de usuários não autorizados na rede. Os access points devem possuir algumas soluções como: criptografia de senha de acesso, de dados trafegados, entre outros.

Conexão: é necessário permitir que todos os usuários se conectem ao equipamento ao mesmo tempo, sem prejudicar o desempenho.

Resistência: é a capacidade do equipamento de resistir a variações climáticas e de temperatura do ambiente em que está instalado.

 

Seja um parceiro

Posts relacionados

Como a tecnologia 5G irá transformar o Data Center?

A conectividade 5G introduz a ideia da metodologia “muitos para um” no que se refere à conectividade sem fio.

  • Redes | Tempo para ler: 3 min

O que é monitoramento proativo de redes e quais seus benefícios?

As empresas se tornaram dependentes da disponibilidade de seus sistemas. Uma simples falha pode prejudicar seus serviços, causando graves prejuízos financeiros.

  • Redes | Tempo para ler: 3 min

Por que a rede é a última fronteira da automação de TI?

Apesar de a maioria das empresas ainda gerenciar suas redes de forma manual, isso tende a mudar muito em breve.

 

Escreva seu comentário