<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

Quais as principais ciberameaças da atualidade?

Conhecer quais são os ciberataques que mais afetam empresas atualmente é essencial para desenvolver uma estratégia de segurança da informação eficiente.

 

Graças aos avanços da tecnologia no meio corporativo, as empresas puderam aprimorar suas operações, passando a contar com diversos benefícios e inovações. No entanto, da mesma forma que proporcionou grandes melhorias para os negócios, essa modernização passou a exigir maiores cuidados com a segurança da informação.

Quanto mais uma organização se torna digital, maiores são os riscos dela se tornar alvo de um ciberataque. Isso acontece porque os criminosos digitais entendem o valor que os dados têm atualmente para os negócios e, sendo assim, procuram por empresas que geram e armazenam suas informações virtualmente.

Para lidar com essa nova realidade e ser capaz de garantir a integridade, confidencialidade e disponibilidade dos dados, a TI deve conhecer a fundo quais são as principais ameaças virtuais da atualidade e como elas agem para conseguir driblar as medidas de segurança utilizadas pelas empresas.

Neste artigo, falaremos um pouco mais sobre quais são as principais ciberameaças que as empresas precisam enfrentar hoje. Acompanhe!

As principais ciberameaças da atualidade

Os últimos anos têm sido desafiadores para os profissionais de segurança da informação. Os cibercriminosos estão se profissionalizando e buscando novas formas de atrair vítimas, seja por e-mails infectados por phishing, roubo de credenciais, ransomwares, entre outras ameaças.

Dentre os inúmeros ataques sofridos pelas empresas, alguns se destacam. Confira a seguir quais são as principais ciberameaças que todas as organizações precisam conhecer para se proteger:

1. Phishing

Esse tipo de ciberataque continua sendo o responsável pela maior parte das violações em empresas. Isso acontece porque ele é simples e realiza uma imitação muito realista de sites verídicos e confiáveis.

Além disso, é um grande desafios para as corporações controlarem como todos os seus colaboradores utilizam seus dispositivos conectados à rede. E, por isso, muitos usuários sem o preparo adequado, acabam clicando em links contaminados.

2. Rootkit

O rootkit é um software malicioso criado para esconder a execução de processos ilegais no dispositivo da vítima. Seu objetivo é fraudar o acesso do usuário, permitindo que o criminosos faça qualquer coisa na rede.

Quando a máquina é infectada, os arquivos maliciosos se escondem no sistema, conseguindo liberar espaço para os hackers agirem.

New call-to-action

3. Malwares

Eles são códigos maliciosos que executam atividades criminosas em dispositivos com o objetivo de danificá-los, roubar dados e prejudicar o usuário. Os principais tipos de malwares são os cavalos de Tróia, spywares e ransomwares.

O malware é capaz de comprometer os dados da empresa e fazer com que as máquinas afetadas se tornem vetores para o envio de spams e golpes virtuais.

4. Ransomware

O ransomware é um malware que tem ganhado cada vez mais popularidade devido aos recentes ataques que causaram muito prejuízo financeiro para organizações no mundo todo.

Alguns exemplos dessa ameaça são o Pety, que atingiu grandes corporações, bancos e aeroportos e o Wannacry que bloqueou as atividades de universidades e até mesmo hospitais.

Ele age criptografando os dispositivos da vítima restringindo o acesso a sistemas, pastas e dados. Para que o usuário consiga resgatar suas informações precisa realizar o pagamento do “resgate”.

Normalmente, o ransomware utiliza emails com códigos maliciosos, anexos ou links para enganar as suas vítimas.

5. DDoS

O DDoS (Distributed Denial of Service) é um ataque distribuído de negação de serviço que age para sobrecarregar os recursos de rede, aplicação ou serviço de uma empresa, atrapalhando o acesso dos usuários.

Ele envia múltiplas solicitações para exceder a capacidade do sistemas de lidar com diversas requisições ao mesmo tempo, prejudicando seu funcionamento e até mesmo causando períodos de indisponibilidade.

Esse tipo de ataque é muito utilizado para prejudicar e-commerces e outros sites e podem prejudicar muito os negócios, fazendo com que a empresa perca audiência e receita.

É essencial que as empresas identifiquem quais são os principais riscos à sua infraestrutura digital para serem capazes de utilizar as medidas de segurança corretas. Além disso, é necessário realizar análises de vulnerabilidades, testes de invasão e varreduras constantes. Dessa forma, é possível criar um ambiente confiável e seguro.

Posts relacionados

Quais os benefícios da automação da segurança da informação?

Examinando as vantagens e as verdades sobre o papel da automação na segurança cibernética.

BYOD e segurança: como criar uma política de gerenciamento?

O uso de dispositivos móveis no ambiente de trabalho já é uma prática comum entre as empresas. Mas é importante desenvolver práticas de proteção de dados.

Como a LGPD irá impactar o setor da saúde?

As empresas desse setor precisarão tomar alguns cuidados a mais para proteger os dados de seus usuários. Saiba o que é preciso para ficar em conformidade.

Escreva seu comentário