<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

Era da segurança móvel: como as empresas devem lidar com as vulnerabilidades?

O uso de dispositivos pessoais como ferramenta de trabalho tem aumentado entre as organizações. Por isso, é preciso saber como continuar garantindo a segurança dos dados nesse cenário.

A natureza do trabalho dentro das organizações mudou. Atualmente a maioria dos funcionários desenvolve suas funções em mais de um dispositivo, inclusive em dispositivos pessoais, além de realizar parte de seu trabalho fora do escritório.


Conforme as tecnologias móveis se tornaram comuns no mercado de trabalho, surgiu a necessidade de se desenvolver políticas de segurança móvel nas empresas.

Devido a isso, as corporações precisam desenvolver uma estratégia de segurança eficaz para mitigar as principais vulnerabilidades do mundo digital e educar seus funcionários sobre as questões de segurança e das melhores práticas no manuseamento de informações corporativas confidenciais.

Portanto, ao mesmo tempo em que as jornadas das empresas se tornaram mais flexíveis, com profissionais acessíveis o tempo todo e em qualquer lugar, é necessário lidar com o novo desafio imposto pelos dispositivos móveis no trabalho.

Como os clientes de sua revenda de TI lidam com essa questão? Eles estão preparados para lidar com tantos devices conectados ao mesmo tempo, acessando a rede corporativa e ainda garantir a segurança dos dados, sistemas e mitigar os riscos de ataques?

Para auxiliá-los nessa missão, preparamos este conteúdo trazendo as vulnerabilidades que as empresas precisam conhecer em 2019 e as principais medidas de segurança que devem ser tomadas. Acompanhe!

 

New call-to-action

 


As vulnerabilidades da mobilidade corporativa

Primeiramente, é necessário que as empresas conheçam as vulnerabilidades que surgiram junto com o novo modelo de trabalho móvel. O assunto não é novo, mas como toda tendência, leva um tempo para a ideia ser completamente compreendida pelas empresas.

A segurança da informação tornou-se prioridade em muitos empreendimentos, no entanto, os riscos na proteção móvel continuam acontecendo em algumas áreas facilmente negligenciadas. Portanto, para que os projetos de segurança sejam bem-sucedidos, é necessário conhecer as vulnerabilidades em potencial a seguir:


1. Vazamento de informação

O vazamento de dados continua sendo uma das ameaças mais preocupantes para a segurança das empresas em 2019. A questão é que nem sempre isso é causado pela ação de um criminoso. Muitas vezes, usuários inadvertidamente tomam decisões imprudentes e cometem erros.

Além disso, os dados podem ser vazados caso os usuários percam seus dispositivos ou sejam roubados. Nestas situações, um terceiro mal intencionado pode compartilhar informações com outras empresas do mercado para tirar algum proveito da situação.

Por isso, é importante impedir que outras pessoas tenham acesso aos dispositivos, mas, caso consigam, que sejam impedidas de acessar os sistemas e informações da empresa.

A empresa deve adotar soluções de defesa contra ameaças móveis que sejam capazes de detectar comportamentos estranhos, como o de vazamento de dados. As ferramentas de prevenção contra perda de dados (DLP) são ideais para essas situações.

Elas são capazes de garantir que dados confidenciais não sejam perdidos, acessados por pessoas não autorizadas, roubados, mal utilizados ou vazados por usuários mal intencionados


2. Engenharia social

Ainda que muitas empresas não considerem esse tipo de técnica uma ameaça, ela é uma habilidade muito utilizada por hackers que se aproveitam da falta de treinamento sobre segurança por parte dos funcionários.

O ataque de Phishing, por exemplo, é um dos principais desse tipo de ataque. Acredita-se que 91% dos crimes cibernéticos começam por meio de um email infectado.

Os usuários móveis ainda correm mais perigos em relação a esse tipo de ciberameaça, pois muitos emails são exibidos com apenas o nome do remetente nos dispositivos móveis. Assim, é mais fácil falsificar uma mensagem e enganar o usuário.

 

3. interferência Wi-Fi

A segurança dos dispositivos móveis é influenciada pela qualidade da rede pela qual o usuário transfere seus dados. Por isso, uma vez que o funcionário se conecta a uma rede Wi-Fi pública, as informações passam a não estar mais tão seguras.

Ao se conectar a uma rede aberta e potencialmente insegura, os dispositivos se tornam vulneráveis a ataques. Para evitar esse tipo de situação, é necessário contar com uma VPN (Rede Privada Virtual).

Uma VPN eficiente é capaz de evitar que desconhecidos tenham acesso às informações. Ela permite que o usuário crie uma conexão segura com outras redes, protegendo os dados corporativos.


4. Dispositivos desatualizados

Os dispositivos normalmente utilizados pelos usuários não oferecem garantias de atualizações de softwares contínuas. Devido a isso, muitos funcionários utilizam aparelhos com sistemas operacionais desatualizados.

Isso torna o mobile ainda mais vulnerável a um ciberataque. Por isso, é crucial reforçar a necessidade de se criar um política de segurança completa na empresa, que inclua cuidados com dispositivos IoT não seguros dentro da organização.

Para isso, a própria empresa deve criar sua própria rede de segurança em torno deles e conscientizar os funcionários sobre os perigos de se utilizar um aparelho desatualizado no ambiente de trabalho.


Quais medidas de segurança devem ser tomadas?

A TI deve ser capaz de realizar um monitoramento eficaz em todo o sistema para conseguir identificar todas as possíveis falhas na segurança das organizações.

A partir dessa visibilidade, é possível desenvolver um planejamento de ações preventivas para evitar danos, como roubo ou sequestro de dados, vazamento de informações sigilosas, entre outros.

Para ter um ambiente totalmente seguro, a empresa deverá investir em recursos de segurança perimetral, como firewall, antivírus e anti-spam, os quais analisam o tráfego de dados e bloqueiam as tentativas de acesso não autorizados.

Além desses, iniciativas de mitigação de riscos de ataques de negação de serviço, técnicas preditivas, de proteção de aplicações e criptografia são necessárias.

No entanto, não são suficientes para lidar com a expansão do uso dos mobiles. tornou-se necessário a criação de uma política de BYOD para que a TI realize um constante gerenciamento dos dispositivos móveis utilizados.

Dessa forma, é possível garantir que todos os dispositivos estarão em conformidade com a política estabelecida, mantendo a privacidade e proteção dos dados corporativos.

Para auxiliar seus clientes, separamos algumas dicas importantes para garantir a segurança dos dados. Confira:

- Desenvolver uma estratégia para segurança móvel: muitas empresas, achando que vão resolver o problema, limitam a utilização dos dispositivos móveis no ambiente de trabalho. No entanto, isso é um erro, já que eles trazem diversas vantagens, como a flexibilidade e aumento da eficiência dos funcionários.

Portanto, ao invés de proibir, a empresa deve estabelecer regras e reforçá-las entre todos para que todos os procedimentos de segurança sejam seguidos corretamente. Assim, é possível evitar as ameaças.

- Realizar auditorias: auditorias devem ser realizadas para determinar quando e onde os dispositivos móveis podem ser utilizados dentro da empresa. Por meio de um processo periódico, é possível entender os níveis dos riscos e determinar os limites necessários para o acesso e transferência de dados corporativos.

- Estabelecer práticas de monitoramento rigorosos: elas são fundamentais para garantir que todos as políticas e diretrizes estipuladas pela empresa sejam seguidas corretamente por todos os funcionários.

- Classificar os dados sensíveis: alguns dados necessitam de maiores cuidados do que outros. Portanto, é possível classificá-los, como dados confidenciais, financeiros, pessoais, entre outros, além de determinar o grau de importância das informações.

Os riscos continuarão crescendo nos próximos anos. Diante disso, é preciso que as empresas, além de tomarem medidas de proteção, estejam sempre acompanhando os recursos de proteção de dados que surgem no mercado. Cabe a sua revenda de TI estar sempre um passo à frente, oferecendo as melhores soluções, capazes de proporcionar uma proteção de última geração.


Posts relacionados

Como a LGPD irá impactar o setor da saúde?

As empresas desse setor precisarão tomar alguns cuidados a mais para proteger os dados de seus usuários. Saiba o que é preciso para ficar em conformidade.

6 passos para criar uma cultura de segurança da informação nas empresas

O desenvolvimento de uma forte estratégia de segurança cibernética requer a compreensão da fonte das violações.

Setor da educação e segurança de dados: quais os impactos da LGPD?

A nova lei de proteção de dados exigirá que empresas de todas as áreas se adequem a suas normas. As instituições de ensino não ficarão de fora dessa, saiba como se preparar!

Escreva seu comentário