<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

Como usar o SQL para criar mais SQL?

A linguagem que padroniza os comandos de manipulação de dados e pode otimizar transações de seu cliente.

 

Como usar o SQL para criar mais SQL?

 

SQL é a sigla de Structured Query Language (Linguagem de Consulta Estruturada), que é uma linguagem de gerenciamento de dados criada para padronizar os comandos de manipulação de dados, interagindo com os principais bancos de dados baseados no modelo relacional. Para utilizar SQL, o profissional deve indicar o comando desejado para que seja executado pelo SGBDR (Relational Database Management System), que é o banco de dados relacional, em que é possível modelar os dados em tabelas.


A linguagem SQL foi criada para atender a todos os bancos de dados relacionais e permitir que usuários possam acessar qualquer banco usando a mesma base de conhecimento. Os principais comandos SQL para manipular dados são: INSERT (inserção), SELECT (consulta), UPDATE (atualização), DELETE (exclusão). SQL permite ainda que sejam criadas relações entre tabelas e o controle do acesso aos dados. Além disso para obter e manipular dados, SQL também pode ser utilizado para criar mais SQL quando necessário, auxiliando na atualização, inserção e exclusão de dados.


Por exemplo, caso o departamento de vendas de uma empresa ofereça comissão para os vendedores e as taxas aumentem a partir de um certo mês do ano, os registros dessas taxas devem constar no banco de dados. É possível utilizar SQL “update” e “insert” para realizar o processo. Esta tarefa é simples, porém seria necessário realizá-la para cada funcionário, tornando-a cansativa. Por isso, a instrução pode ser copiada, criando-se um script usando SQL. Assim, pode ser criada uma tabela temporária com os novos dados, reunindo a lista de todos os funcionários afetados pela comissão.


Outra forma de se utilizar SQL é manipulando ou carregando dados em uma tabela já existente no banco de dados. Assim, é possível usar a instrução “select” para gerar a coluna de dados a partir dos registros existentes, conforme solicitado pelo usuário. Isto significa criar um script de “update”, mas gerando um múltiplo script “update” com a instrução “select, ou seja, com esta ação é possível incluir apenas os usuários de funcionários mencionados na tabela temporária.


Esta estratégia permite que a estrutura fundamental da instrução SQL selecione os dados da fonte de dados onde são cumpridos os parâmetros especificados. A partir da instrução “update" tudo pode ser copiado e colado no editor de SQL executado. As taxas de comissão antigas podem ser definidas para expirar depois de um tempo, assim, é possível inserir os novos registros no banco de dados, conforme solicitado. Desta forma, pode-se criar um grupo de instruções "insert" usando o SQL para criar mais SQL.


Entender como SQL funciona pode ajudar as empresas a criarem consultas melhores, recuperar dados como uma tabela no banco de dados, além de facilitar a compreensão de como corrigir uma consulta que não está retornando os resultados desejados.

 

 

A importância do gerenciamento e automação na virtualização do Data Center

Posts relacionados

Maturidade digital: como identificar em qual etapa sua empresa está?

Manter-se atualizada e adotar as novas tecnologias que surgem no mercado é fundamental para continuar conquistando clientes e não se tornar obsoleta.

Atendimento omnichannel: como adotar e quais os benefícios para os negócios?

Essa estratégia unifica os canais de comunicação das empresas, proporcionando uma melhor comunicação com os clientes.

4 conselhos para sobreviver à Era Digital

Para acompanhar a Transformação Digital, as empresas precisam se abrir para as novas tecnologias do mercado e adaptar sua cultura a essas inovações.

Escreva seu comentário