<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

Como diminuir a superfície de ataque em servidores?

O cibercrime está cada dia mais efetivo, conseguindo driblar as ferramentas de proteção mais robustas. Descubra como dificultar a entrada de vulnerabilidades no sistema.

 

O cibercrime está ficando, cada vez mais, inteligente e eficaz, conseguindo driblar até mesmo as soluções de segurança mais potentes. Junto a isso, o número de dispositivos modernos utilizados na rotina de trabalho das empresas continuará crescendo, o que, inevitavelmente, indica um aumento na superfície de ataque.

A previsão é de que até 2020, as organizações sejam responsáveis por cerca de seis bilhões de dispositivos conectados a internet. Por isso, investir em estratégias de proteção mais potentes é essencial.

As empresas precisam ser capazes de reduzir o campo de exposição de seus servidores e sistemas para que, assim, possam evitar as vulnerabilidades e ameaças existentes.

Mas como proteger o perímetro de rede de uma empresa? Você sabe qual é a extensão da superfície de ataque nos servidores de seus clientes? Confira o conteúdo a seguir e saiba tudo sobre o assunto!

O que é superfície de ataque?

Superfície de ataque refere-se a amplitude de penetrabilidade em um sistema ou em servidores, ou seja, é todo o ambiente que um invasor pode tentar explorar para executar seu ciberataque.

Alguns problemas na organização podem contribuir para aumentar essa superfície, como vulnerabilidades não corrigidas, como portas de rede abertas, softwares ou hardwares desatualizados, redes mal configuradas, usuários com privilégios excessivos, segmentação de rede fraca, funcionários que não cumprem as normas de segurança, entre outras falhas.

New call-to-action

O ideal é que essa superfície de ataque seja a menor possível. Mas, para isso, é necessário ter uma infraestrutura de segurança robusta, a qual exige uma abordagem sistêmica que integre e automatize todos os recursos de proteção existentes.

Quando uma organização não conta com medidas de segurança adequadas, acabam contribuindo para que os cibercriminosos tenham mais chances de sucesso em suas invasões, conseguindo roubar dados e prejudicar os sistemas de TI.

As inúmeras vulnerabilidades nos ambientes de uma organização se tornam porta de entrada para uma ameaça. Por isso é necessário investir em sistemas automatizados que procurem essas brechas ativamente e consigam reduzir imediatamente os riscos em toda a organização.

Como diminuir a superfície de ataque?

Reduzir a superfície de ataque é um grande desafio para as empresas. É preciso ter uma equipe de TI preparada para corrigir todas as vulnerabilidades conhecidas, atualizar todos os hardwares e softwares, além de eliminar todos os erros de configuração em tempo real, entre outras coisas.

No entanto, o ambiente corporativo está em constante mudança e diversos novos aplicativos e dispositivos são conectados à rede diariamente, o que dificulta ainda mais o trabalho da TI.

Esses novos ativos expandem a superfície de ataque conforme as demandas de negócio também aumentam. Por isso, acreditar que apenas o monitoramento da TI seja suficiente para controlar as ameaças é um grande erro.

Para garantir uma melhor proteção do ambiente e reduzir a superfície de ataque nos servidores corporativos é fundamental adotar um conjunto de medidas de segurança. Confira quais são a seguir:

1. Implementar soluções inteligentes de firewall

Uma medida importante para reduzir a superfície de ataque é a implementação de firewalls inteligentes. Eles ajudam a combater ataques como o DDoS, que costumam ser bastante comuns e efetivos.

Essa solução é capaz de garantir um efetivo controle de todo o ambiente de trabalho, por meio de filtros e regras de utilização dos recursos existentes. Ela possui ferramentas, como gateway antivírus, autenticação de usuários, recursos de regras de acesso e outras que protegem os servidores.

2. Utilizar ferramentas contra ransomware

Esse tipo de ameaça está se popularizando cada vez mais entre as empresas e causando muitos prejuízos devido ao bloqueio permanente ao acesso aos dados corporativos. Por isso, é preciso se prevenir e investir em ferramentas capaz de bloquear ransomwares.

Esse tipo de instrumento deve ser utilizado em conjunto com outras estratégias de segurança, como a criação de uma rotina de backup online. Dessa forma, é possível garantir a recuperação das informações da organização.

3. Contar com recursos de backup de servidores

Não apenas como aliado das ferramentas contra ransomware, o backup pode agir ativamente para diminuir a superfície de ataque em servidores. Por meio de um sistema remoto, as empresas podem contar com:

  • Programação automática de cópias de segurança;
  • Compactação e criptografia de arquivos sensíveis por meio de senha;
  • Restauração de conteúdos;
  • Maior disponibilidade e desempenho dos dados críticos.

4. Ter uma estratégia de monitoramento das entradas do servidor

Outra medida importante para reduzir a superfície de ataque é adotar um gerenciamento automático e constante que emita alertas em tempo real quando os servidores estão em perigo.

Por meio de soluções de monitoramento efetivas é possível reduzir significativamente as chances de invasões no sistema, além de diminuir consideravelmente o tempo de resposta aos possíveis ataques.

A partir dessas medidas é possível diminuir a superfície de ataque nos servidores corporativos. No entanto, é fundamental ter em mente que todas as ferramentas de segurança utilizadas precisam de atualizações constantes e atualizações. Afinal a tecnologia está em constante evolução.

Portanto, todas as organizações devem se manter em movimento, buscando sempre por tendências de segurança da informação no mercado. Apenas assim será possível manter o sistema corporativo sempre protegido.

Posts relacionados

O que considerar na segurança do servidor de uma empresa?

Para manter a disponibilidade e proteção dos dados corporativos é necessário assegurar que toda a infraestrutura esteja protegida contra as ciberameaças.

6 etapas para um plano de resposta a incidentes de TI bem-sucedido

Esse processo é essencial para que as empresas consigam eliminar as vulnerabilidades de seus sistemas e garantir a continuidade dos negócios.

EAD e segurança da informação: sua instituição está em perigo?

Veja os riscos que as instituições de ensino a distância podem estar enfrentando com o uso da tecnologia e como contornar os possíveis problemas.

Escreva seu comentário