<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Cloud Blog
Toda informação da tecnologia está aqui.

Windows SQL Server 2016 e sua interação com ambientes virtuais

Entenda o conceito de SQL e as premissas do licenciamento do serviço Microsoft e veja como eles podem interagir com ambiente virtuais para beneficiar negócios.

SQL ou Structured Query Language, em português, Linguagem de Consulta Estruturada, é uma linguagem padrão utilizada no gerenciamento de dados. Ela permite que se estabeleça uma interação entre os principais bancos de dados da empresa a partir do modelo relacional. Essa não é a única linguagem existente para a integração de bancos de dados, mas é a mais utilizada, ganhando um padrão aceito pela American National Standard Institute (ANSI), em 1986, e pela International Organization for Standards (ISO), em 1987.

A principal característica de uma linguagem SQL é sua essência declarativa, exigindo do programador apenas a indicação do objetivo a ser alcançado para que o Sistema Gerenciador de Banco de Dados Relacional (SGBDR), conjunto de programas que, como o próprio nome sugere, são responsáveis por gerenciar um banco de dados, seja executado.

Por meio de seus comandos, essa linguagem permite inserir, consultar, atualizar e excluir dados, além de garantir diferentes formas de manipulação por meio da criação de relações entre as tabelas e controles de acesso.

A medida em que o mercado muda, a necessidade de atender novas demandas de mercado cresce, principalmente aquela relacionada ao processos digitais, como acontece com a Computação em Nuvem, IoT e Mobilidade.

Atendendo a esta demanda, a Microsoft desenvolveu o Windows Server 2016, um sistema operacional mais completo e com suporte para as cargas de trabalho e fluxos de dados dos ambientes virtuais. Essa solução apresenta novas tecnologias para facilitar a transição para o ambiente virtual.

O Windows Server 2016 utiliza dos benefícios de padronização para o gerenciamento de dados SQL para que seja possível tornar o licenciamento de suas tecnologias mais dinâmico e simples, permitindo atender às necessidades dos ambientes digitais de maneira mais eficiente.

O licenciamento básico deste serviço, atualmente, tem como principal base processos lógicos, oferecendo um pack de licenças para 16 cores, também conhecidos como núcleos lógicos. Assim, estabelece uma base de atendimento mais ampla de forma que sejam necessários menos pacotes de licença para atender os processadores geralmente encontrados nos negócios, principalmente quando avaliamos que um processador possui no mínimo 4 core atualmente, 4 núcleos de processamentos.

Ainda que o core oferecido pelo Server 2016 já seja melhor, o grande diferencial oferecido pela Microsoft está na associação desse serviço com elementos relacionados ao CALs (Acesso ao Cliente Licenças). Isso porque existem licenças personalizadas do Windows Server para a necessidade de cada negócio, Standard, Datacenter ou Multiponto, e cada um deles requer uma Windows Server e uma CAL de Serviços de Área de Trabalho Remota (RDS). É possível, ainda, aplicar o Azure Hybrid Use Benefit, que reduz os atritos decorrentes da necessidade de aplicar diferentes modelos de licenciamento, tomando como base principal o uso de hardware sob demanda.


Ambientes Virtuais Dinâmicos

Com os processos de digitalização avançando, muitas empresas passam a ter ambientes formados por ambientes virtuais dinâmicos, compostos por diversos servidores virtuais e máquinas virtuais (VMs), essas últimas movidas por servidores no momento de realocar recursos. Em muitas situações, essas máquinas virtuais são movidas por um hipervisor, ampliando a dinamicidade do ambiente e tornando o processo de licenciamento mais complexo.

Simplificar o licenciamento nesses casos é possível, dependendo de soluções que se foquem em flexibilidade e maior mobilidade. Isso é oferecido pelas licenças em farm de servidores, que garantem que as licenças possam se mover junto com as máquinas virtuais nos servidores.

Essa mobilidade das licenças é um benefício oferecido por todas as edições do Windows SQL Service 2016, que possui cobertura de garantia de software e grandes vantagens para clientes que fazem uso de máquinas virtuais individuais e que, frequentemente, necessitam reatribuir licenças a diferentes servidores para que as cargas de trabalho possam ser gerenciadas e movimentadas.

É preciso ficar atento a um pequeno detalhe: ainda que a mobilidade de licenças se movimento dinamicamente e a qualquer momento com as máquinas virtuais em um farm de servidores, as licenças do SQL Server só permite movimentação interna. Movimentações para máquinas virtuais por provedores terceirizados só é autorizada a cada 3 meses. Mesmo com essa restrição, a solução Microsoft SQL Server 2016, ainda permite um maior controle e direcionamento das linguagens e gerencimento em prol dos objetivos estabelecidos pelo negócio, podendo ser de grande auxílio para empresas de diferentes tipo e oferecendo modelos variados para que seja possível contratar apenas aquele que mais se adequa às necessidades de cada negócio.

Posts relacionados

5 passos para transformar o poder dos dados em oportunidades de negócio

Descubra como utilizar a tecnologia pode ajudar empresas na conquista de insights para a captação de clientes, crescimento de mercado e lucratividade dos negócios.

Quais as principais necessidades da Cloud transformation?

O novo modelo de Nuvem tem transformado o ambiente corporativo ao alinhar a tecnologia com as estratégias de negócio. Saiba como seus clientes podem colocar esse processo em prática. 

Monitoramento em Nuvem: quais os benefícios e como implementar?

Entenda como essa tarefa pode garantir que os serviços em Nuvem funcionem corretamente e auxilie seus clientes a colocarem em prática.

Escreva seu comentário