<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Cloud Blog
Toda informação da tecnologia está aqui.

Como monitorar e gerenciar workloads em ambientes híbridos ou virtualizados?

Entenda como esse serviço pode ser essencial para seus clientes e o que as ferramentas devem oferecer para contribuir com a estruturação desses ambientes.

Existem dois ambientes que se utilizam da computação em nuvem como base para mobilidade, armazenamento, acessibilidade e maior segurança de dados empresariais: os híbridos e os virtualizados.

Ambientes virtualizados são aqueles onde toda a infraestrutura de TI é transferida para o meio digital, com processos e aplicativos disponíveis através da rede para todos os usuários e protegidos por criptografia e políticas específicas. Entretanto, existem cargas de trabalho que ainda são mantidas nas instalações e que não tendem, até o momento, a ser virtualizadas. Essa divisão entre ambiente físico e virtual dos processos é o que caracteriza o ambiente híbrido, ou TI híbrida, sendo que os serviços que permanecem fora da nuvem são os considerados mais críticos.

Mas mesmo que muitos processos ainda se mantenham em infraestruturas físicas, a dependência de aplicativos continua a crescer, principalmente daqueles destinados a melhorar o desempenho dos negócios.

As pressões exercidas por essas expectativas acabam por criar a necessidade de um maior controle tanto dos ambientes virtuais quanto dos híbridos, levantando diversos questionamentos relacionados a como é possível oferecer para clientes processos eficientes para monitorar e controlar workloads nesses ambientes.

O primeiro passo para que seja possível alcançar um monitoramento e gerenciamento eficiente é contratar os serviços de nuvem corretos e ferramentas de virtualização que ofereçam suporte específicos para eles.

Grande parte desses serviços tem como principal pilar as soluções de detecção automática de falhas, que permitem identificar comportamentos anômalos na nuvem logo nos primeiros momentos de sua ocorrência, garantindo que sejam reparados antes que possam causar quaisquer prejuízos. Além disso, trabalha com padronizações de processos, automatizando grande parte do workload para que as equipes de TI estejam livres para cuidar de processos mais críticos do negócio.

É necessário sempre buscar por plataformas que ofereçam monitoramento em tempo real, como uma forma de complementar a rápida resposta à problemas, sempre com suporte de um plano de recuperação de desastres.

Soluções de nuvem híbrida (como acontece com o Microsoft Azure) são úteis também para a construção de ambientes completamente virtualizados, devem ser consistentes e auxiliar no aumento da agilidade e segurança dos processos.

Grande parte dos clientes de TI têm maior dificuldade em definir alguns elementos, como definir o tamanho do ambiente necessário para a migração dos workloads a serem virtualizados ou como escolher a máquina virtual e os servidores mais adequados para seu negócio, entre outras. Cabe à revenda de TI e ao fornecedor oferecer a eles os direcionamentos necessários para que desvende essas estruturas e possa conquistar um ambiente virtual que responda ao que o negócio precisa.

Um dos serviços que mais se destaca é o OMS, Microsoft Operations Management Suite, uma solução de gerenciamento direcionada para:

Análise de logs: garante maior rapidez na análise das configurações de workload, oferecendo as informações necessárias para que ele seja estruturado em ambientes virtualizados e híbridos.

Automação: oferece maior controle, padronização e conformidade para os workloads nesses ambientes, garantindo maior conformidade dos processos, sempre em parceria com definições de recuperação de desastres.

Disponibilidade: os aplicativos e dados passam poder ser acessados de diferentes dispositivos e remotamente com base em configurações de acessibilidade e segurança da nuvem.

Solução de problemas: a conformidade dos processos garante maior disponibilidade dos serviços de TI e rapidez na resolução de falhas e erros, independente de serem de sistema ou humanas, recuperando o funcionamento normal do workload em menor tempo.

Insights: oferece mais informações sobre os processos por meio da inteligência operacional e garante o monitoramento e a identificação dos momentos em que é necessário explorar, analisar e tomar providências rapidamente.

O gerenciamento e monitoramento dos workloads, portanto, depende de maior controle e conhecimento dos processos da empresa, tanto dentro quanto fora do ambiente virtual, de forma que seja possível identificar quando mudanças ocorrem e analisar se elas são positivas ou negativas para os negócios.

Com as soluções para gerenciamento de nuvem híbrida existentes no pacote da Microsoft Azure essas análises e gerenciamento são executados com maior controle e objetividade, garantindo compreensão, otimização, segurança e controle para os gestores, contribuindo para o crescimento do negócio.

Posts relacionados

Backup em nuvem: seu cliente está usando essa arma contra o cibercrime?

Saiba a importância do backup na nuvem e como ele pode salvar uma empresa de prejuízos em dados críticos ou tradicionais.

Qual a relação entre GDPR e Cloud Computing?

Segurança, implementação e mais: entenda melhor a lei europeia de proteção de dados e como ela está inserida no contexto de nuvem em TI.

5 tendências estratégicas para aplicar na Nuvem corporativa este ano

Containers mais abrangentes e crescimento do mercado de microsserviços são apenas algumas das tendências estratégicas para aplicar na nuvem corporativa este ano.

Escreva seu comentário