<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Cloud Blog
Toda informação da tecnologia está aqui.

5 elementos essenciais para a hiperconvergência

Saiba como estruturar eficientemente infraestruturas hiperconvegentes e oferecer maior eficiência aos workloads de seus clientes.

Hiperconvergência é um modelo de infraestrutura que combina componentes virtuais e físicos, de forma que redes, servidores e hardwares passem a ser gerenciados por meio de apenas um dispositivo, controlado por software. Por meio da concentração da infraestrutura e sistemas em um único bloco no nível do hipervisor, ela elimina silos de armazenamento e computação e, consequentemente, diversos problemas ligados ao gerenciamento de TI, acelerando o processamento e aumentando a eficiência dos sistemas.

A integração entre servidores de hardware e software que a hiperconvergência promete tem ganhado cada vez mais destaque entre equipes de TI, colocando o desenvolvimento como foco central dos processos e acompanhando a tendência de virtualização e de inserção dos negócios na computação em nuvem.

Uma das grandes mudanças observadas na área é a busca pela eliminação do hypervisor, software responsável por garantir a abstração entre sistema operacional e máquina virtual, passando a estabelecer esse mesmo processo por meio de conteinerização das aplicações. Como resultado, seria eliminada a necessidade do uso de recursos para a compra de diferentes licenças de software, para sua instalação e manutenção.

A principal mudança, aqui, é o crescimento dos processos de computação em nuvem e de compras de serviços nos modelos de pagamento por uso.

Esses processos acabam causando o surgimento de diferentes formas de contratação de licenças para softwares, o que acaba acelerando o processo de adoção de ferramentas hiperconvergentes por parte dos clientes, principalmente para aqueles que já tem como principal foco aumentar a eficiência das cargas de trabalho colocadas no ambiente virtual.

De acordo com pesquisa sobre tecnologias nos negócios desenvolvidas por um pesquisador de mercado de Hampton, a adoção da hiperconvergência por empresas de apresentar um crescimento anual de 50% até 2020, alcançando um montante de vendas em torno de US$1,6 bilhões. Dessa forma, o uso de aplicações de hiperconvergência no mercado mundial de infraestrutura de representar 32% do total em 2020 de acordo com a pesquisa.

Ter uma infraestrutura hiperconvergente bem estruturada é essencial para conquistar workloads eficientes, principalmente quando consideramos que eles são cargas de trabalho que existem apenas no ambiente da nuvem e que se caracterizam por apresentarem grande complexidade.

Assim, passa a ser indispensável entender os pontos principais no processo de adoção de infraestruturas hiperconvegentes. Apresentamos aqui os 10 principais:


1. Garanta infraestruturas que suportem arquiteturas mistas

É necessário buscar por soluções e ferramentas que garantam a integração de todas as estruturas já existentes na empresa e do processo de virtualização, principalmente para o Data Center, consolidando suas funções em um único dispositivo e reduzindo o número e complexidade de interfaces administrativas.


2. Assegure um dimensionamento eficiente

Para que o negócio cresça, o dimensionamento dos Data Centers devem ser flexíveis e planejado antes mesmo de iniciar o projeto de hiperconvergência, garantindo que não seja necessário interromper processos, buscando por ferramentas que garantam um sistema de inventário eficiente e sem muitos custos, garantindo que o negócio possa crescer em seu próprio ritmo e de acordo com as necessidades.


3. Conheça as reais necessidades e metas de adotar a hiperconvergência

Existe um limite para o número de máquinas virtuais (VM) que cada solução suporta, sendo importante entender quantas VMs o negócio exige inicialmente e qual a previsão de crescimento futuro, de forma que a solução escolhida se adapte às oportunidades do negócio. O ideal é sempre dimensionar com base no pior cenário possível e entender que o superdimensionamento, desde que dentro do orçamento da empresa, não causa prejuízos.


4. Esclareça a forma que os seus dados vão se mover

Infraestruturas comuns possuem diversos sistemas que, na maioria das vezes, não se mantém disponíveis 100% do tempo. Com o estabelecimento de uma infraestrutura hiperconvergente, no entanto, se torna possível integrar esses sistemas, garantindo menor tempo de indisponibilidade e garantindo maior mobilidade de dados.

Entender as necessidades que o negócio possui em relação a essa movimentação de informações permite estabelecer uma integração mais eficiente e ampliar a disponibilidade dos sistemas de acordo com a forma como os processos ocorrem na infraestrutura.


5. Garanta o suporte a hipervisores

Aqui, mais uma vez, é essencial conhecer o negócio. Cada meta e forma de trabalho exige um suporte diferente para que o hipervisor possa garantir maior integração e eficiência para a hiperconvergência.

Hipervisores convergentes têm ganhado cada vez mais destaque de mercado e podem ser a melhor solução para garantir o suporte necessário para que os workloads apresentem melhores resultados nessas infraestruturas.

Assim, vemos que o crescimento acelerado da hiperconvergência e a evolução da tecnologia têm oferecido suportes cada vez mais eficientes para os negócios, mas que, com todas as opções de soluções existentes, bons resultados para os clientes dependem de revendas que ofereçam os entendam os negócios que estão atendendo e ofereçam as soluções mais adequadas para cada caso.

Posts relacionados

As novas perspectivas para o futuro da computação

Entenda a evolução prevista pela lei de Moore e como o desenvolvimento das tecnologias tem se alterado

Escreva seu comentário