<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

Cibersegurança: as principais ameaças virtuais de 2019 e como se proteger

Os cibercriminosos estão cada vez mais especializados, criando ameaças modernas e sofisticadas. Por isso, as empresas precisam reforçar suas medidas de proteção.

 

Cibersegurança: as principais ameaças virtuais de 2019 e como se proteger

 

 

Este ano promete ser desafiador para os profissionais de cibersegurança. Isso porque os criminosos virtuais estão se profissionalizando cada vez mais e encontrando novas formas mais modernas para atrair vítimas, principalmente por meio de seus dispositivos móveis.

Todos os anos, novos malwares, vírus, spywares e outros tipos de ameaças virtuais são desenvolvidos, o que aumenta a batalha das equipes de TI contra hackers. As tradicionais proteções não são mais suficientes para garantir a disponibilidade e proteção adequada dos sistemas corporativos.

Por isso, as empresas precisam se prevenir e investir em novas técnicas, mais modernas e abrangentes de proteção de sua rede corporativa, além de incluir os dispositivos móveis de seus colaboradores.

Para auxiliar os clientes de sua revenda nessa missão, separamos as principais ameaças virtuais que estarão em alta esse ano e dicas para se proteger. Acompanhe!


As principais ameaças virtuais

 

1. Ameaças que utilizam Inteligência Artificial

É previsto que ataques que utilizam a Inteligência Artificial sejam utilizados por hackers para driblar os controles de segurança dos próprios sistemas AI utilizados pelas empresas.

Em 2018, já houve casos em que os algoritmos de AI adversária foram utilizados para enganar humanos. Como no caso dos “Deepfakes” em que vídeos com rostos artificialmente inseridores e vozes geradas por computadores são criados para imitar pessoas, confundindo os telespectadores.

Esse tipo de golpe é capaz de evitar a detecção humana e até sistemas complexos de defesa.

 

Mantenha os dados seguros em tempos de transformação digital

 


2. Vírus Klim

Um dos principais vírus da atualidade, o Klim é impulsionado pela ascensão do Facebook. Ele é capaz de se mascarar em forma de extensão de navegadores, passando pelo Adobe Flash Player ou Chrome e conseguindo se instalar nas máquinas dos usuários.

Ele atua fazendo posts indesejados e curtindo postagens de perfis nas redes sociais dos usuários. Ainda que pareça inofensivo, as empresas precisam ter cuidado, pois posts maliciosos podem ser feitos em suas páginas oficiais, comprometendo a imagem da marca.


3. Ameaças IoT sofisticadas

Os dispositivos inteligentes e conectados se multiplicarão nos próximos anos e os criminosos virtuais irão se aproveitar dessa tendência. Geralmente, dispositivos IoT vêm com opções de segurança de fábrica incorporadas, no entanto elas não são suficientes para manter as ameaças afastadas.

Devido a isso, as brechas na segurança serão maiores para futuros ataques e as empresas poderão esperar por ataques de malware de IoT mais evoluídas e sofisticadas.


4. Ataques a roteadores

A onda de ataques a roteadores tende a aumentar, devido a fragilidade desses aparelhos. Nesse ano, eles serão invadidos por criminosos que buscam sequestrar credenciais bancárias.

Quando o roteador está infectado, o hacker consegue injetar uma imagem HTML falsa em páginas específicas da web. Assim, pode pedir para que os usuários instalem aplicativos bancários maliciosos, capazes de capturar as mensagens de autenticação.

Os roteadores afetados, além de executar scripts maliciosos para espionar usuários, poderão utilizar links intermediários para realizar ataques em cadeia.


5. Ameaças em dispositivos móveis

Os dispositivos móveis continuarão na mira dos criminosos. Táticas conhecidas como publicidade, ataques phishing e aplicativos falsos são as principais ameaças em 2019.

Os cibercriminosos continuarão persistindo em versões falsas de aplicativos, trojans bancários e outras formas de roubar informações pessoais dos usuários.


Como se proteger contra essas ameaças?

Para manter os dispositivos utilizados na corporação seguros contra todas essas ameaças e proteger as informações corporativas é necessário reforçar algumas medidas de segurança.

As principais resoluções para uma vida digital segura são:


1. Não clicar em links desconhecidos

Os colaboradores da empresa devem ser alertados sobre clicar em links desconhecidos por meio de seus dispositivos. É necessário evitar links recebidos de desconhecidos ou que contenham mensagens suspeitas.


2. Cuidar melhor das informações

O sequestro de dados é um dos principais ataques realizados por criminosos virtuais. Portanto, é preciso reforçar os cuidados com as informações.

O usuário deve saber o que e onde estão armazenados seus dados, utilizar antivírus de qualidade em seus dispositivos, realizar backups com frequência e utilizar autenticação de duas etapas nos aparelhos.


3. Remover aplicativos e arquivos não utilizados

A limpeza dos dispositivos é fundamental. Portanto, o usuário deve se certificar de que aplicativos inativos e dados que não são mais utilizados sejam deletados. Além disso, todos os apps que permanecerem no dispositivo devem utilizar criptografia.


4. Atualização de sistemas operacionais e aplicativos

Manter os dispositivos conectados à rede sempre atualizados é fundamental para que os cibercriminosos não encontrem brechas para violar o sistema corporativo.

Portanto, mantenha todos os aparelhos em sua última versão disponível, pois ela irá corrigir as possíveis vulnerabilidades existentes no sistema.


5. Alteração de senhas periodicamente

As senhas utilizadas nos dispositivos corporativos devem ser alteradas com frequência. Muitos usuários utilizam a mesma senha para todas as suas contas, o que facilita o acesso dos cibercriminosos.

Portanto, além de atualizar as senhas constantemente, é necessário utilizar sequências diferentes. Para auxiliar nessa missão, é aconselhável utilizar um software de gerenciamento, que gera senhas fortes e exclusivas e ainda ajuda o usuário a se lembrar delas.


6. Realização de backups

O backup é indispensável para qualquer empresa, no entanto muitas delas ainda se esquecem desse passo, principalmente com o aumento de dispositivos utilizados.

A cópia de segurança ajuda a empresa a driblar ataques, como no caso de ransomwares que criptografam todas as informações da empresa, ou até mesmo quando um simples arquivo é corrompido.

Portanto a empresa deve estabelecer uma rotina de backups para que ele sempre seja realizado.


7. Gerenciamento de dispositivos e aplicativos

Com o aumento do número de dispositivos utilizados para acessar a rede corporativa, os controles de acesso devem ser reforçados.

Por isso é necessário analisar todas as permissões concedidas aos dispositivos e aplicativos e decidir se os usuários realmente devem ter esse tipo de privilégio. A equipe de TI deve criar um controle de segurança para limitar os acessos e criar um registro com todos os usuários.

Os cibercriminosos estão descobrindo cada vez mais portas de entrada para violar os sistemas corporativos, causando grandes prejuízos para os negócios. Portanto é fundamental que as empresas iniciem o ano reforçando suas medidas de proteção. Contar com a ajuda de consultorias de revendas de TI especializadas pode ser um ótimo diferencial.

Posts relacionados

Como escolher uma solução de segurança de endpoint?

A primeira etapa na escolha da melhor solução de segurança de endpoint é entender o que sua empresa precisa.

Inteligência de ameaças cibernéticas: o que é e qual a importância para empresas?

A inteligência de ameaças cibernéticas ajuda as organizações, dando-lhes insights sobre os mecanismos e implicações das ameaças.

O que considerar na segurança do servidor de uma empresa?

Para manter a disponibilidade e proteção dos dados corporativos é necessário assegurar que toda a infraestrutura esteja protegida contra as ciberameaças.

Escreva seu comentário