<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

Ciberataques a empresas: 1 malware é baixado a cada 81 segundos

Pesquisas revelam o alto índice de violações nas redes corporativas. A falta de consciência do usuário móvel está entre as principais falhas na segurança.

 

ciberataques a empresas: 1 malware é baixado a cada 81 segundos

 

O Brasil está entre os países mais vulneráveis a riscos de segurança. Nove em cada dez empresas brasileiras sofreram algum tipo de violação de segurança no ano passado de acordo com relatório divulgado pela CompTIA, associação de TI sem fins lucrativos.

A empresa de segurança Check Point divulgou uma pesquisa realizada com 1.100 empresas no mundo todo que mostra que, a cada 81 segundos, algum tipo de malware é baixado por alguma organização. Além disso, o relatório identificou outros pontos preocupantes, como por exemplo: a cada cinco segundos um usuário corporativo acessa um site malicioso, uma aplicação de alto risco é utilizada a cada quatro minutos e alguém envia dados confidenciais ou pessoais usando a rede corporativa a cada 32 minutos.


De acordo com os dados analisados, a frequência de cada tipo de ameaça grave nas empresas foi:

- 75%: infecção por bot (Este tipo de ameaça leva esse nome por se parecer com um robô, pois pode ser programado para realizar tarefas específicas dentro do computador afetado).
- 82%: por acesso a sites maliciosos
- 89%: download de arquivos maliciosos
- 94%: uso de aplicações de alto risco

O cenário de ameaças mostra que os invasores não estão mais se concentrando apenas em empresas de grande porte. Organizações de médio e pequeno porte estão na mira de criminosos. Além disso, os ataques tendem a ser executados nas máquinas de colaboradores da base, como dos setores de relações públicas, vendas e recursos humanos. Ainda que funcionários desses cargos possam não possuir acesso direto a informações importantes, são considerados mais fáceis de serem invadidos e, assim, os hackers podem usá-los como ponte para entrar da empresa. O aumento nas violações de dados através de dispositivos móveis também está no centro das preocupações das corporações.

Segundo a pesquisa, as ameaças aumentaram devido à maior dependência da computação em nuvem e soluções de tecnologia móvel. A prática BYOD tem sido muito valorizada por aumentar a produtividade dos colaboradores, porém, é um alvo muito atraente para os criminosos, pois a maioria das organizações ainda não contavam com soluções focadas na proteção desses dispositivos móveis.
Portanto, diversas corporações têm enxergado a necessidade de alterar suas normas e políticas de segurança, além de reforçar a educação dos funcionários sobre as melhores práticas a serem seguidas para um acesso seguro.

A computação em nuvem e a mobilidade estão forçando a TI a repensar suas práticas de segurança, criando um enorme desafio para a proteção das empresas devido à grande quantidade de dados confidenciais e pessoais com que diversas organizações trabalham. Para lidar com esse desafio, o primeiro passo deve ser criar uma estratégia dentro do ambiente de trabalho com políticas e procedimentos tecnológicos adequados.


A seguir, apresentamos algumas dicas importantes para a segurança corporativa:


- Criação de uma estratégia direcionada para a segurança móvel: a prática de BYOD já está consolidada no meio empresarial, por isso, questionamentos sobre a limitação do uso de dispositivos no ambiente de trabalho não é mais algo a ser discutido. Os pontos a serem levados em conta são as aplicações de segurança que esses aparelhos devem possuir.

- Realização de auditorias: é importante determinar como e onde os dispositivos são usados dentro da empresa. Auditorias ajudam a TI a entender os níveis de riscos e as tecnologias que limitam o acesso ou a transferência de informações confidenciais.

- Classificação do nível das permissões de acesso: nem todos os colaboradores precisam ter livre acesso a todos os dados da empresa. Por isso, eles podem ser classificados de acordo com a necessidade de cada um para a realização de seu trabalho.

- Criação de práticas de monitoramento rigoroso: implementar tecnologias que assegurem que as políticas e as diretrizes sejam seguidas corretamente é essencial.

- Estabelecer responsabilidades entre os usuários: os funcionários devem estar cientes de suas responsabilidades e da importância do uso responsável dos dispositivos.

Além disso, os gestores de TI devem recorrer ao uso de ferramentas de segurança, como firewalls e sistemas de gerenciamentos modernos. Assim, os administradores poderão bloquear acessos à rede que não sejam identificados, evitando possíveis invasões.

 

Baixar e-book gratuito

Posts relacionados

6 características que um bom gestor de segurança da informação deve ter

Como visão estratégica, liderança e outras características podem contribuir para o sucesso do trabalho de um gestor?

3 tendências de segurança da informação para o futuro

Cloud Computing, Internet das Coisas e Machine Learning podem revolucionar a segurança da informação.

4 dicas para uma gestão de riscos eficiente

Saiba como gerenciar os riscos de forma mais eficiente, garantindo o sucesso do seu negócio.

Escreva seu comentário