<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

BYOD e segurança: como criar uma política de gerenciamento?

O uso de dispositivos móveis no ambiente de trabalho já é uma prática comum entre as empresas. Mas é importante desenvolver práticas de proteção de dados.

 

 

A tendência BYOD (Bring Your Own Device) já é predominante na maioria das organizações, independente de seu porte e setor. Isso se tornou possível graças aos avanços das tecnologias e o aumento da mobilidade dos usuários, que agora podem se conectar à rede corporativa e contar com alta disponibilidade e conexões mais rápidas.

Por meio dessa tendência, é possível criar ambientes corporativos mais flexíveis e com melhor qualidade interna. Ela tem estreitado, cada vez mais, o espaço de trabalho e a vida pessoal dos usuários, permitindo que atividades corporativas sejam executadas em novos ambientes.

A partir disso, essa forma de trabalho tem proporcionado grandes melhorias para a rotina de trabalho das empresas, aumentando a produtividade e melhorando a satisfação dos funcionários, além de reduzir custos operacionais, incentivar inovações e gerar maior vantagem competitiva.

No entanto, o BYOD também trouxe alguns desafios para as equipes de TI, que precisam reestruturar as políticas de segurança de suas organizações para serem capazes de proteger e gerenciar um cenário muito mais diversificado de dispositivos móveis e aplicativos.

Quer saber como é possível alinhar essa tendência às estratégias corporativas de uma organização sem prejudicar a proteção de dados? Confira a seguir as melhores práticas para se criar uma política de gerenciamento de BYOD. Boa leitura!

Como criar uma política de gerenciamento de BYOD?

É inegável que a cultura BYOD traz muitas vantagens para os negócios. No entanto, as organizações não podem permitir o uso desordenado de inúmeros dispositivos móveis em seus ambientes internos.

Garantir a segurança da informação é indispensável e, para evitar riscos de vazamento ou roubo de dados desses aparelhos, é fundamental criar uma política de gerenciamento focada em BYOD.

New call-to-action


Confira as melhores práticas para se criar uma política de gerenciamento de BYOD eficaz:

1. Reconhecer o tipo de tráfego

Para uma boa política de gerenciamento de BYOD é fundamental deixar claro para os funcionários quais são seus deveres e limitações ao utilizarem seus próprios dispositivos móveis no ambiente de trabalho.

Além disso, a TI precisa criar rotinas de monitoramento das redes para identificar os tráfegos e restringir o acesso a sites não confiáveis e aqueles que não tem nenhum tipo de vínculo com as atividades da corporação, como redes sociais por exemplo.

2. Educar os colaboradores

É crucial que os funcionários da empresa saibam como utilizar seus aparelhos de forma segura. Por isso, a empresa deve investir em treinamentos para que boas práticas de segurança digital seja incentivada e transmitida a todas.

3. Dimensionar a largura de banda

A organização passará a lidar com cada vez mais dispositivos acessando sua rede ao mesmo tempo. Isso leva a um grande aumento das demandas de consumo de dados e aumento do volume de tráfego.

Para que os usuários não passem por momentos de indisponibilidade, é necessário acompanhar a largura de banda, realizando um efetivo monitoramento da rede. A TI deve analisar o consumo de cada dispositivo e software para, assim, ser capaz de identificar gargalos e usos excessivos para redimensionar a banda de forma adequada.

4. Cuidar da manutenção

Por mais que na prática BYOD, os dispositivos sejam dos próprios colaboradores, a organização precisa se preocupar com a manutenção deles. Afinal, caso eles não estejam em boas condições, nem contem com softwares de segurança adequados, podem colocar a rede em perigo.

Dessa forma, a empresa precisa fornecer assistência técnica especializada para os aparelhos dos colaboradores e indicar quais softwares de segurança precisam ser instalados.

5. Utilizar a Cloud Computing

Para que a prática BYOD seja efetiva é crucial aliá-la a uma estratégia na Nuvem. Isso evita que os usuários precisem armazenar as informações da organização em seus dispositivos móveis ou baixar aplicativos pesados para acessá-los.

Assim, ao migrar os sistemas e dados utilizados pelos colaboradores para a Cloud Computing, a organização consegue aumentar a produtividade de sua equipe e reforçar a segurança de suas informações. Além disso a TI passa a contar com um sistema único para gerenciar e controlar todos os acessos, permitindo ou bloqueando a permissão de cada usuário conforme seja necessário.

Adotar o BYOD já não é mais uma escolha para as empresas, ela já se tornou uma realidade e, por isso, é necessário se adaptar. Por meio dessas 5 práticas é possível desenvolver uma política de gerenciamento segura e eficiente para essa prática. Assim, a companhia conseguirá agir com maior agilidade às novas demandas do mercado, aumentando seus resultados.

 

Posts relacionados

Quais os benefícios da automação da segurança da informação?

Examinando as vantagens e as verdades sobre o papel da automação na segurança cibernética.

Quais as principais ciberameaças da atualidade?

Conhecer quais são os ciberataques que mais afetam empresas atualmente é essencial para desenvolver uma estratégia de segurança da informação eficiente.

Como a LGPD irá impactar o setor da saúde?

As empresas desse setor precisarão tomar alguns cuidados a mais para proteger os dados de seus usuários. Saiba o que é preciso para ficar em conformidade.

Escreva seu comentário