<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

8 segredos para realizar uma estratégia MultiCloud bem-sucedida

Como qualquer outra grande iniciativa de TI, garantir uma estratégia eficaz em várias nuvens envolve ter as pessoas e as ferramentas certas.

 

Como diferentes serviços de Cloud pública têm seus próprios conjuntos de recursos e protocolos de acesso, o gerenciamento de um ambiente com várias nuvens pode ser mais complicado do que gerenciar um único ambiente, mas pode levar a benefícios substanciais.

Para um número crescente de empresas, a migração não é uma simples questão de implantar um aplicativo ou dois no Amazon Web Services, no Microsoft Azure ou em algum outro serviço hospedado.

Como qualquer outra grande iniciativa de TI, garantir uma estratégia eficaz em várias nuvens envolve ter as pessoas e as ferramentas certas e tomar as medidas necessárias para manter o esforço alinhado com as metas de negócios.

Aqui estão algumas das melhores práticas em torno desta tendência crescente de acordo com executivos de TI e especialistas do setor.

1. Tenha metas realistas

Estar preparado é a chave para conseguir aproveitar todos os benefícios dessa tendência. Certifique-se de entender qual plataforma funciona melhor para cada aplicativo e priorize seus requisitos quando não houver correspondência exata.

Será necessário um conjunto de habilidades específicas para migrar para um ambiente com várias nuvens com êxito e ter metas por 12 meses, 24 meses e 36 meses. Essas metas devem ser flexíveis para dar conta do cenário em evolução.

2. Proteja a rede

Muitas empresas que operam em um único ambiente protegem os perímetros de suas redes e, então, assumem que o tráfego dentro delas é aceitável.

Com uma estratégia MultiCloud isso não é possível, pois você não controla mais o perímetro da rede, então é necessário proteger seu interior também.

3. Repense sua organização de TI

As empresas precisam separar a engenharia de Cloud em sua própria organização para que ela possa ser totalmente focada em sua missão de expandir e proteger cargas de trabalho virtuais.

O crescimento do modelo público requer novos conjuntos de habilidades que podem não existir nos profissionais dos departamentos tradicionais de TI, como arquitetos de Nuvem, engenheiros de automação e gerentes de produto. Portanto, as empresas precisarão contratar, treinar ou certificar pessoas com a capacitação necessária e alinhar a nova estratégia aos negócios.

4. Inventário completo dos aplicativos corporativos

Antes de implantar uma estratégia de Nuvem múltipla, pode ser uma boa ideia realizar uma avaliação dos aplicativos existentes. Para isso, é importante fazer um inventário do portfólio existente e, mais importante, identificar o valor comercial que traz para a empresa. 

O primeiro passo deve ser determinar quais aplicativos podem ser eliminados. Em seguida, identifique quais têm uma oferta baseada em SaaS no mercado e se uma dessas ofertas é uma boa opção. Os aplicativos restantes se tornam os principais candidatos para a migração de Nuvem pública.

Aqueles que têm apenas 12 a 18 meses restantes em seu ciclo de vida útil são candidatos sólidos para a nova hospedagem. Agora, os aplicativos com um ciclo de vida mais longo, são considerados como diferenciadores e devem ser refatorados ou reescritos para aproveitar as modernas tecnologias de Nuvem.

5. Coletar e consolidar dados

As empresas geralmente dependem de ferramentas de gerenciamento e sistemas que geram relatórios fornecidos pelo provedor de Nuvem - criando conjuntos de dados distintos que dificultam a visibilidade do seu ecossistema.
Por isso, para coletar e consolidar dados em várias ambientes Cloud, é necessário contar com uma plataforma de gerenciamento capaz de permitir a visualização em uma única exibição de painel.

6. Avalie ambientes como se fossem um

As plataformas de gestão MultiCloud não apenas fornecem uma visão clara desse ecossistema, mas também permitem avaliar vários ambientes de Nuvem como se fossem um só. Isso ajuda a identificar melhor as ineficiências e as preocupações de segurança e definir a governança.

Outra vantagem de ter todos os seus dados em um só lugar é que as análises de tendências são mais exatas, permitindo previsões, planejamentos e orçamentos mais precisos. O relatório também é simplificado para ajudá-lo a responder rapidamente a perguntas sobre uso, desempenho, segurança e custo.

7. Agende tarefas quando puder

O agendamento de scripts é uma prática recomendada padrão em empresas com presença na Nuvem, pois cria um padrão regular para analisar o uso de recursos e investigar eventos de segurança não críticos. Esse controle pode reduzir significativamente os custos da Cloud.

8. Automatize sempre que possível

Se engana quem pensa que gerenciar um ambiente híbrido é fácil. Mas as empresas podem aproveitar a automação orientada por políticas. Ao criar regras de alerta para o aumento de custos e erros de configuração de ativos, a função de gerenciamento é simplificada.
 

Posts relacionados

3 dicas para melhorar a segurança do provedor de Nuvem

Identificar ameaças e estabelecer políticas internas de segurança são essenciais para melhorar a segurança do provedor de Nuvem.

Qual a Nuvem ideal para o negócio de seus clientes?

Cada modelo de Nuvem traz suas vantagens e desvantagens.

Edge Computing: como se relaciona com a Nuvem e quais os benefícios?

Essa abordagem surgiu para ajudar as empresas a atenderem às novas demandas tecnológicas que surgem no mercado diariamente. Aprender a utilizá-la é um grande diferencial.

Escreva seu comentário