<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

7 erros para evitar em projetos de Blockchain

Falhas sempre podem acontecer. O importante é saber como evitar.

 

O hype em torno da tecnologia Blockchain está finalmente desaparecendo, enquanto o interesse na tecnologia de contabilidade distribuída permanece alto, de acordo com uma pesquisa recente da Gartner. Apenas 11% dos CIOs implantaram ou estão planejando a curto prazo implantar o Blockchain,em parte porque a maioria desses projetos não foi além da fase inicial de experimentação.

O mercado de plataformas e tecnologias Blockchain ainda é incipiente e não há consenso no setor sobre os principais componentes, como o conceito do produto, o conjunto de recursos e os principais requisitos de aplicativos.

Para realizar com sucesso um projeto Blockchain, é necessário entender as causas das falhas. Para ajudar nesse aspecto, o Gartner identificou os sete erros mais comuns nos projetos Blockchain e como evitá-los.

1. Mal-entendido ou uso indevido de Blockchain

A maioria dos projetos Blockchain é usada para registrar dados em plataformas via tecnologia de ledger descentralizada (DLT). Embora essa seja uma função do Blockchain, ela ignora seus outros recursos críticos, incluindo consenso descentralizado, tokenização e contratos inteligentes.

O DLT é um componente do Blockchain, não de todo ele. O fato de as organizações usarem tão raramente o conjunto completo de recursos leva a questão de se eles precisam mesmo de Blockchain. É bom começar com o DLT, mas a prioridade dos CIOs deve ser esclarecer os casos de uso do Blockchain como um todo e passar para projetos que também utilizem outros componentes.

2. Assumir que a tecnologia está pronta para uso

O emergente mercado de plataformas Blockchain é cada vez maior e fragmentado. Os fornecedores concentram-se em tudo, desde a confidencialidade à tokenização, até a computação universal, na tentativa de diferenciar-se dos clientes. No entanto, a maioria permanece muito imatura para o trabalho de produção em grande escala, segundo a pesquisa.

Os CIOs devem ficar de olho no mercado para monitorar essas plataformas à medida que elas evoluírem nos próximos anos, e mudar seus cronogramas de projeto de Blockchain.

3. Confundir um protocolo com uma solução de negócios

O Blockchain é uma tecnologia de nível básico - embora possa ser usado em vários setores para diferentes situações, não é um aplicativo completo. Ele também deve incluir recursos como interface do usuário, lógica de negócios, persistência de dados e mecanismos de interoperabilidade.

Quando se trata de Blockchain, há a suposição implícita de que a tecnologia de nível básico não está muito distante de uma solução completa de aplicativos. É útil ver o Blockchain como um protocolo para executar uma determinada tarefa dentro de uma aplicação completa.

4. Pensar que o Blockchain como um mecanismo de armazenamento

A tecnologia ainda não se adapta bem, já que cada nó na rede peer-to-peer recebe uma cópia completa do ledger distribuído toda vez que é atualizado; à medida que cresce, o desempenho diminui.

Blockchain foi projetado para fornecer um registro confiável, imutável e confiável de eventos decorrentes de uma coleção dinâmica de partes não confiáveis. Essa arquitetura vem com o preço dos recursos de gerenciamento de banco de dados.

Em sua forma atual, a tecnologia não implementa o modelo completo "criar, ler, atualizar, excluir" encontrado na tecnologia convencional de gerenciamento de banco de dados. Em vez disso, ele deve ser visto como um livro eletrônico de gravação única e com muitos anexos.

5. Padrões de interoperabilidade

Como a maioria das plataformas Blockchain ainda está sendo desenvolvida, a interoperabilidade com outras ainda não é totalmente possível, segundo a pesquisa. Os CIOs devem abordar os fornecedores que discutem a interoperabilidade com cautela neste momento.

Qualquer conversa de fornecedor sobre interoperabilidade de plataforma deve ser vista pelos CIOs e outros como um marketing. Nunca selecione uma plataforma Blockchain com a expectativa de interoperar com a tecnologia do próximo ano de um fornecedor diferente.

6. Supor que a tecnologia de contrato inteligente é um problema resolvido

Contratos inteligentes são um dos recursos mais poderosos habilitados pelo blockchain. No entanto, muitos desafios em termos de escalabilidade e capacidade de gerenciamento desses contratos ainda existem, observou o Gartner. Os CIOs devem realizar pequenos experimentos com tecnologia de contrato inteligente para começar, já que isso mudará significativamente nos próximos dois a três anos, disse a pesquisa.

7. Ignorar questões de governança

Blockchains públicos exigem governança dos CIOs, observou o relatório, enquanto a governança para Blockchains privados e autorizados é normalmente tratada pelo proprietário.

Governança em Blockchains públicos como Ethereum e Bitcoin é principalmente voltada para questões técnicas. Comportamentos humanos ou motivação raramente são abordados. Os CIOs devem estar cientes do risco que as questões de governança de blockchain podem representar para o sucesso de seu projeto. Especialmente organizações maiores devem pensar em unir-se ou formar consórcios para ajudar a definir modelos de governança para o Blockchain público.

Posts relacionados

Quais as vantagens de uma arquitetura de microsserviços?

Os microsserviços ganharam destaque como uma evolução do SOA (Service Oriented Architecture).

Como preparar uma infraestrutura de TI para a inovação?

Estar pronto para lidar com as novas demandas do mercado digital, exige que as organizações invistam em novas soluções tecnologias e tendências. Saiba como fazer isso com sucesso.

Como escolher a melhor plataforma de inteligência de dados para os negócios?

Contar com informações precisas é primordial para que as empresas consigam direcionar suas estratégias e conseguir melhores resultados.

Escreva seu comentário