<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

6 medidas que toda empresa deve considerar ao migrar para a nuvem

Mover dados importantes para a nuvem é um grande passo para as corporações, portanto, antes disso, há uma série de elementos a ser levados em conta.

 

6 medidas que toda empresa deve considerar ao migrar para a nuvem

 

Migrar recursos da TI para nuvem tem trazido diversos benefícios para as corporações, como mobilidade, confiabilidade e economia de tempo e dinheiro. Entretanto antes de fazer esse movimento rumo ao ambiente virtual, é necessário ficar atento a alguns pontos que podem impactar essa experiência.

Uma empresa deve migrar para nuvem apenas quando entender suas reais necessidades. O processo requer uma série de considerações a serem feitas, desde ferramentas e custos até a segurança. Portanto, antes de dar esse passo, a empresa precisa considerar algumas questões:

 

1 - Considerar as aplicações certas para nuvem

A flexibilidade e escalabilidade são grandes vantagens da nuvem, porém nem todas as aplicações são ideais para esse ambiente, como as legadas e operações críticas.

Além disso, é necessário considerar a quantidade de recursos utilizados por cada aplicação. A nuvem pública, por exemplo, é um ambiente multi-tenancy, ou seja, de múltiplos usuário que compartilham recursos, dessa forma dependendo da demanda, altos picos podem exigir muito da banda larga e dificultar o desempenho de algumas aplicações.

 

2 - Avaliar gastos

Muitas empresas optam pela nuvem devido aos baixos custos com hardware e despesas com pessoal de TI. No entanto, os benefícios financeiros são diferentes para cada tipo de aplicação. Por exemplo, aquelas com níveis de demanda variáveis, que aumentam ou diminuem de forma aleatória, como aplicativos móveis, produzem um maior retorno sobre o investimento quando movido para a Cloud, mas quando se trata de aplicações que usam software legados executar na nuvem pode ser muito mais caras.

3 - Escolher o modelo ideal

Os principais pontos a serem levados em conta para o processo de migração são as aplicações e gastos. Porém, escolher o ambiente certo também é essencial. E mesmo que haja diversos benefícios em nuvens públicas, privadas e híbridas, as organizações devem determinar qual o melhor modelo que atenda às reais necessidades dos negócios.

As nuvens públicas, oferecem um ambiente altamente escalável com um modelo de “pay per use”, porém pode não ser a melhor opção quando se trate de armazenar informações sigilosas, visto que é um ambiente compartilhado com múltiplos usuários.

As nuvem privada oferece maior controle em um ambiente local, mas a empresa precisará se preocupar com todo o gerenciamento, ao contrário do modelo público, os usuários de nuvem privada são responsáveis pela segurança, monitoramento de desempenho, entre outros.

O objetivo da nuvem híbrida é oferecer o melhor dos outros dois modelos, porém também pode apresentar alguns problemas de desempenho, como o de latência.

 

4 - Repensar a governança e a segurança

Os métodos de governança utilizados para os sistemas locais tradicionais não irão funcionar no novo ambiente virtual e, como normalmente as empresas iniciam o movimento de seus dados para a nuvem pública, o controle da empresa acaba diminuindo e a responsabilidade passa a ser do provedor da nuvem. Por isso, é importante determinar as novas estratégias de governança para depender menos do controle e segurança interna e mais sobre as ofertas do seu provedor de nuvem.

As preocupações com questões sobre segurança, muitas vezes, são os principais obstáculos para as corporações investirem na migração para a nuvem, por isso é importante planejar com antecedência os possíveis riscos que podem acontecer.

5 - Estar pronto para a migração nuvem-para-nuvem

Migrações não são apenas uma transição da tecnologia local para a nuvem, pode-se também migrar dados de uma nuvem para outra, o qual inclui mudanças de fornecedores ou entre nuvens públicas e privadas.

A migração do modelo privado para a nuvem pública pode não ser a melhor opção por exemplo. Ainda que haja ferramentas disponíveis dos fornecedores para ajudar, não há nenhuma que seja completa para lidar com todo o processo, por isso, algumas empresas optam por arquitetar seus próprios serviços.

Além disso, elas precisam realizar testes de seus aplicativos e fazer todas as configurações necessárias para máquinas virtuais, redes, sistemas operacionais, entre outros.


6 - Criar uma estratégia de migração

Uma vez que as questões sobre a segurança dos dados, gastos e desafios das migrações já foram considerados, é necessário criar um plano de migração. Um ponto necessário a ser levado em conta é decidir o que fazer com os servidores locais e determinar prazos para o movimento de suas aplicações e dados.

Diversas empresas podem optar por migrar tudo para a nuvem de uma vez só, mas isto pode não ser o adequado e até mesmo arriscado. Inicialmente, é muito mais eficaz começar com aplicações menos críticas e depois mover gradualmente o restante.

Antes de considerar a nuvem a melhor opção, a empresa precisa analisar e pesquisar com calma os melhores fornecedores e recursos que seu negócio precisa para ser possível aproveitar todos os benefícios da Cloud de forma segura.

 

Ba

Posts relacionados

Como fazer o gerenciamento de Multicloud?

Contar com os benefícios de cada modelo de Nuvem é uma grande vantagem para os negócios. No entanto, administrar diversos ambientes não é uma tarefa fácil.

6 benefícios de Hybrid Cloud para uma rede virtual

A Nuvem promove benefícios como maior eficiência, flexibilidade e até oportunidades de expansão.

8 dicas para não ter prejuízo com a migração para Nuvem

Para que seja bem-sucedido e gere lucros para os negócios, esse processo deve ser realizado com alguns cuidados. Entenda melhor o assunto a seguir!

Escreva seu comentário