<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

6 etapas para um plano de resposta a incidentes de TI bem-sucedido

Esse processo é essencial para que as empresas consigam eliminar as vulnerabilidades de seus sistemas e garantir a continuidade dos negócios.

 

Os dados e informações gerados em uma empresa são ativos cada vez mais fundamentais para o sucesso dos negócios. Portanto, protegê-los tornou-se tarefa fundamental na rotina corporativa.

À medida que as ameaças cibernéticas aumentam e se tornam mais inteligentes e modernas, novas medidas precisaram ser implementadas nas organizações para garantir a segurança da informação da empresa.

Devido a isso ter um plano de resposta a incidentes de TI passou a ser uma necessidade para qualquer empresa, independente de seu tamanho e setor. Por meio dele, é possível determinar como cada pessoa deve agir diante de um problema de segurança de TI e, assim, garantir que os impactos sejam os menores possíveis.

Contar com esse tipo de processo pode ser determinante para uma empresa conseguir contornar um ciberataque sem prejudicar seus negócios e continuar ativa no mercado.

Por isso é necessário garantir que ele seja executado corretamente. Para isso, a organização deve garantir que seu plano de resposta a incidentes de TI siga 6 etapas para ser bem-sucedido. Confira a seguir quais são elas. Boa leitura!

O que é plano de resposta a incidentes de TI?

Plano de resposta a incidentes de TI é um processo que descreve as ações que uma empresa deve tomar para lidar com contratempos de segurança de TI, seja ele um ciberataque, uma violação de dados ou nas políticas de segurança, erros internos, entre outras complicações.

Em um plano, a empresa deve descrever os procedimentos que serão executados quando um incidente ocorrer, além de quais ferramentas, tecnologias e recursos serão utilizados. Seu objetivo é minimizar os danos e custos que esses problemas poderiam causar para os negócios.

New call-to-action


No entanto para que um plano de resposta a incidentes de TI seja bem-sucedido, ele precisa seguir corretamente a 6 etapas fundamentais no processo. Confira a seguir quais são elas:

6 etapas para um plano de resposta a incidentes de TI bem-sucedido

1. Preparação

O primeiro passo para o desenvolvimento de um bom plano de respostas é a definição de como a equipe da empresa deverá agir diante de um incidente. Nesse momento, deve ser abordado a comunicação externa e interna, bem como realizar a documentação dos incidentes.

Para que essa etapa seja efetiva, é necessário ter uma política de segurança corporativa bem definida, com diretrizes sobre quais riscos a empresa está exposta e quais as medidas preventivas que devem ser tomadas para cada tipo de situação.

2. Identificação

O CSIRT (Computer Security Incident Response Team) é a nome dado para a equipe responsável por realizar o monitoramento e dar as respostas certas aos incidentes de segurança. É na segunda etapa em que a empresa precisa definir quais serão os critérios para ativar esse time.

Os funcionários que fazem parte do CSIRT desenvolvem e cumprem, junto aos outros departamentos, os procedimentos do plano de resposta e, por isso, ele deve ser acionado sempre que um problema de segurança acontecer.

Dessa forma, a empresa pode garantir que alertas serão emitidos em tempo real quando alguma ameaça for detectada para esse time possa entrar em ação o mais rápido possível para contornar o problema.

3. Contenção

Esse é o momento de se preocupar em conter a ciberameaça. Existem dois tipos de contenção em um plano de resposta a incidentes de TI: a curta e a longa. A primeira é caracterizada por uma resposta imediata a fim de impedir que o ataque cause danos. Enquanto isso, a segunda representa as ações para restabelecer a normalidade em todo o sistema corporativo.

4. Erradicação

Na quarta etapa, a empresa define o que deve ser realizado para garantir a continuidade de seus negócios. A erradicação visa restaurar todos os sistemas corporativos que foram afetados pelo incidente.

Para definir essa etapa, é necessário remover a vulnerabilidade totalmente e o plano deve conter diretrizes que indiquem a realização de atualizações constantes do sistema e medidas corretivas para evitar a repetição do problema.

5. Recuperação

Ainda que o plano de resposta a incidentes de TI de uma empresa seja bem-sucedido, algumas ameaças podem passar despercebidas. Portanto, é fundamental ter uma etapa de recuperação bem estruturada.

Nesse momento, é preciso definir o que precisa ser feito para restabelecer a normalidade de todo o sistema. A empresa deve realizar uma varredura para identificar quais foram as perdas e como recuperar os dados perdidos.

Para uma efetiva recuperação, você deve contar com cópias de segurança em sistemas na Nuvem. Assim, é possível garantir que o fluxo de trabalho volte ao normal rapidamente.

6. Lições aprendidas

Para o sucesso de um plano de respostas a incidentes de TI é fundamental que os mesmos erros não voltem a acontecer. Portanto a sexta etapa é fundamental para o processo.

Ela envolve a documentação dos incidentes ocorridos e os procedimentos de respostas utilizadas para contorná-los. Por meio dela, a empresa consegue ter um histórico das ocorrências e as devidas ações tomadas.

Essa etapa prepara a organização para lidar com os problemas futuros de forma mais rápida, precisa e efetiva.

Ao seguir as seis etapas corretamente, a empresa consegue ter um plano de resposta a incidentes de TI bem-sucedido. No entanto, é importante se lembrar de que o processo não é fixo, deve estar em constante evolução. Portanto realize balanços dos resultados constantemente e adote sempre melhorias para eliminar todas as vulnerabilidades.

Posts relacionados

O que considerar na segurança do servidor de uma empresa?

Para manter a disponibilidade e proteção dos dados corporativos é necessário assegurar que toda a infraestrutura esteja protegida contra as ciberameaças.

Como diminuir a superfície de ataque em servidores?

O cibercrime está cada dia mais efetivo, conseguindo driblar as ferramentas de proteção mais robustas. Descubra como dificultar a entrada de vulnerabilidades no sistema.

EAD e segurança da informação: sua instituição está em perigo?

Veja os riscos que as instituições de ensino a distância podem estar enfrentando com o uso da tecnologia e como contornar os possíveis problemas.

Escreva seu comentário