<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

6 erros Comuns para evitar ao definir um orçamento de TI

Os gastos com tecnologia são indispensáveis para as empresas na atualidade. Portanto, é necessário um bom planejamento para garantir o sucesso do orçamento. 

 

6 erros para evitar ao definir um orçamento de TI

 

 

A equipe de TI tem se tornado estratégica para as empresas. Ela é responsável por gerenciar e otimizar os sistemas da empresa para que os colaboradores, clientes e parceiros possam utilizá-los de forma eficiente.

Devido às novas soluções e ferramentas mais modernas e ágeis, é possível otimizar a produtividade de todos os setores, garantir flexibilidade, redução de custos, eficiência, além de garantir a segurança da rede e dos dados corporativos, auxiliando nas tomadas de decisões.

Como a TI assumiu um papel protagonista nas empresas, é necessário realizar um bom planejamento e uma gestão de orçamento eficiente para garantir os bons resultados para a empresa, sem comprometer o budget do negócio.

No entanto, muitas empresas ainda cometem diversos erros na hora de definir seus orçamentos de TI, o que vem trazendo cada vez mais dor de cabeça e prejuízos. Isso acaba impedindo que as organizações invistam em inovações que podem otimizar suas infraestruturas ainda mais.

Para que seus clientes não sofram com esse problema, é necessário rever a forma como a tecnologia é trabalhada, apenas assim será possível definir um orçamento eficiente.

Pensando nisso, separamos os principais erros cometidos pelas empresas para que seus clientes possam evitá-los e estruturar um orçamento de TI de sucesso. Confira!


6 erros comuns para evitar ao definir um orçamento de TI

 

1. Insistir em infraestruturas inadequadas

O mundo da tecnologia se transforma aceleradamente, o que torna sistemas obsoletos rapidamente. Por isso, ao montar a infraestrutura de TI é necessário levar esse fato em consideração.

Caso a empresa insista em infraestruturas antigas e ineficazes para sua realidade atual, provavelmente irá sofrer com altos custos desnecessários.

Para evitar esse problema, seus clientes devem avaliar com cuidado o uso de todas as plataformas utilizadas, realizar testes e montar um cronograma de atualização. Dessa forma, é possível colocar no orçamento de TI os softwares realmente necessários, evitando prejuízos com equipamentos obsoletos.


2. Ignorar backups e outras medidas de segurança

Atualmente, as empresas lidam com um enorme fluxo de dados todos os dias, os quais podem ser vazados, violados e até mesmo perdidos. Portanto a preocupação com a realização de backups periódicos e a execução de medidas de proteção deve ser maior.

A empresa não pode vê-los como gastos no orçamento, mas sim como um investimento. Ao realizar backups com frequência e investir em segurança, é possível garantir ainda a redução de custos posteriores com perdas de informação.


3. Migrar para nuvem sem planejamento

Muitas empresas acreditam que o ambiente em Nuvem é a solução para seus problemas, no entanto realizam a migração sem se planejar.

Por meio de ferramentas que otimizam a gestão corporativa, a Cloud Computing realmente pode permitir o aumento da segurança e do desempenho. Porém a migração requer uma série de adaptações na empresa para que funcione corretamente.

Logo, ao montar seu orçamento de TI para o próximo ano, a empresa deve considerar os gastos com a migração e se preparar, antes de iniciar o processo.


4. Não treinar a equipe

Trabalhar com ferramentas tecnológicas inovadoras não é uma tarefa fácil. A empresa irá precisar de profissionais capacitados para ter bons resultados.

Por isso, ao preparar o orçamento de TI, é importante contar com gastos para treinamentos dos colaboradores. Apenas assim a empresa conseguirá aproveitar todos os benefícios das inovações e garantir o bom funcionamento de seus sistemas.


5. Investir em novas tecnologias sem preparo

Investir em altas tecnologias olhando apenas para as vantagens que elas podem proporcionar também é um grande erro cometido por muitas corporações.

É necessário analisar a empresa de modo geral para identificar se tal tecnologia é realmente um bom investimento. Dessa forma, o orçamento de TI não deve apenas ser implementado por impulso, seguindo tendências e modismos. É necessário muito preparo.


6. Negligenciar atualizações

Uma das principais questões que devem ser planejadas no orçamento de TI é o gasto com atualizações de softwares e máquinas. É crucial que a empresa mantenha um monitoramento sobre quais dispositivos e softwares utilizados precisam ser substituídos ou atualizados.

Quando desatualizados, essas máquinas podem causar graves danos para os negócios, prejudicando a rotina e a produtividade da empresa. Assim, com uma análise correta, as atualizações podem ficar em dia, melhorando os recursos e rotina dos colaboradores.

Os gastos realizados com TI são muito importantes para as empresas e seus negócios, portanto não podem ser deixados de lado. Por meio de um orçamento de TI bem planejado, seus clientes podem economizar e evitar prejuízos posteriores.

Posts relacionados

Mitos e verdades sobre a terceirização de TI

O número de empresas que apostam nessa modalidade de serviço tem aumentado. confira tudo sobre o assunto antes de contratar.

 

As 6 principais tecnologias emergentes que estão dominando 2019

Tecnologias que mudam o mundo e estão prontas para apoiar sua revenda e a sua carreira em TI para novos projetos.

Software de gerenciamento de projetos em TI: o que considerar antes de investir?

Esses softwares ajudam as empresas a atingir suas metas e objetivos corporativos.

Escreva seu comentário