<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

5 maneiras de criar uma estratégia de firewall segura

O gerenciamento de firewall pode ser um processo complicado e arriscado, se não for realizado com cuidado pode colocar toda a empresa em risco.

 

5 maneiras de criar uma estratégia de firewall segura

 

O gerenciamento de firewall continua sendo a defesa principal da rede corporativa. Ele exige mais tempo da equipe de segurança do que qualquer outra atividade, pois é um processo complexo e, se não realizado da forma correta, pode causar graves prejuízos.

O firewall é um dos principais pilares de qualquer estratégia de segurança de rede. Quando configurado corretamente, ele permite que seus usuários acessem todos os recursos de que necessitarem, além de bloquear os acessos não autorizados e ameaças mal-intencionadas.

Portanto, é importante prosseguir com cuidado ao fazer alterações no firewall, uma vez que um erro cometido pode afetar seu funcionamento e até desligar o acesso crítico, fazendo com que os processos de negócios falhem ou ponham em perigo a reputação da empresa.

Para que isso não aconteça, trouxemos 5 dicas que os administradores de TI devem seguir para criar uma estratégia eficiente:

1 - Ter um sistema de solicitação oficial

Os pedidos de alterações não devem ser feitas de forma rápida e informal. Nem sempre é possível acompanhá-los em tempo hábil e as chances de pedidos inadequados também são grandes. Por isso, eles devem ser realizados por meio de um canal oficial, como por um helpdesk por exemplo. Isso permitirá que eles sejam processados e analisados antes de serem executados.

Com esse método, é possível, ainda, avaliar a frequência dos pedidos e agilizar o processo, estabelecendo as cargas de trabalho necessárias e automatizando-o.


2 - Utilizar um processo de aprovação

É importante criar um processo de aprovação para as mudanças de firewall realizado pelo gerente do departamento de TI ou de segurança.

As aprovações devem estar juntas aos pedidos de alterações, em e-mails acompanhando suas autorização ou nas atualizações do helpdesk com uma indicação de que o pedido está autorizado. Isso irá ajudar a reduzir os riscos de erro e o fornecimento de acesso desnecessário.

A segurança não precisa ser consultada para cada mudança de firewall, mas é necessário estabelecer um conjunto de mudanças aprovadas padrão, como permitir que novos clientes acessem determinados sistemas ou redes através de portas ou protocolos aprovados. Isso irá desenvolver padrões para as alterações aceitáveis, tornando o ambiente mais previsível e fácil de administrar.

3. Estabelecer um cronograma de mudanças consistente

Quando não for uma emergência, os pedidos de alterações no firewall devem ser implementados em um período fixo todos os dias, preferencialmente de manhã, para que eles possam ser atendidos rapidamente, deixando a equipe livre para solucionar casos urgentes.

Realizar mudanças cotidianas em outros períodos podem deixar as equipes mais suscetíveis a erros, além da possibilidade de ocorrer imprevistos que ocuparão grande parte da equipe, deixando pessoal insuficiente para cuidar das alterações padrões.

4. Confiar na redundância

Uma estratégia de revisão de firewall é essencial principalmente em ambientes críticos. O processo de mais de uma pessoa examinar as mudanças deve ser implementado para que possíveis erros possam ser detectados e corrigidos antes das alterações entrarem em vigor.

Além disso, as empresas precisam contar com um firewall de backup para que, caso o dispositivo falhe ou tenha algum problema de conectividade, tenha outro para substituí-lo. Ele deve ser configurado para realizar essa substituição automaticamente, assim, caso o firewall primário não responda por um período determinado, o secundário assume seu lugar.

5. Contar com a opção de desfazer mudanças rapidamente

Se algum erro passar por todas as medidas anteriores de segurança, possuir uma opção "desfazer" pode ser a única alternativa para não ter problemas maiores. É preciso implementar um plano para restaurar as configurações da versão anterior do firewall.

Um firewall mal configurado pode prejudicar significamente a produtividade, além de colocar em risco toda a segurança da corporação. Por isso, a proteção por firewall deve estar presente no plano geral de segurança da empresa, junto de políticas claras sobre o uso das redes e das permissões de acesso.

 

 

Baixe

Posts relacionados

6 características que um bom gestor de segurança da informação deve ter

Como visão estratégica, liderança e outras características podem contribuir para o sucesso do trabalho de um gestor?

3 tendências de segurança da informação para o futuro

Cloud Computing, Internet das Coisas e Machine Learning podem revolucionar a segurança da informação.

4 dicas para uma gestão de riscos eficiente

Saiba como gerenciar os riscos de forma mais eficiente, garantindo o sucesso do seu negócio.

Escreva seu comentário