<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

5 formas de otimizar o desempenho de redes wireless

  • Categoria:

    Redes

    | Tempo para ler: 4 min

Saiba como orientar seus clientes para que eles desfrutem do máximo de desempenho das redes sem fio. 

 

5 formas de otimizar o desempenho de redes wireless

 

1- Equipamentos atualizados:

A qualidade, velocidade e confiabilidade na transmissão de dados em redes sem fio depende, primeiramente, da qualidade do aparelho de Wi-Fi utilizado. Porém, quando consideramos que o próprio Wi-Fi se encontra em constante mudança, se torna necessário buscar sempre por atualizações dos aparelhos, antenas e sistemas wireless.

Atualmente as redes sem fio podem ser encontradas em diferentes padrões, sendo o mais comum as de padrão N, que envia e recebe dados em 600Mbps, quando o ideal seria buscar redes em padrão AC, que, por transmitir dados em até 1 GBPS é capaz de garantir maior velocidade e maior volume de dados para a transmissão.

A atualização desses equipamentos pode ser feita em duas etapas, a troca das placas de rede e a compra de modelos mais recentes de roteador.

2- Posicionamento:

O local da empresa onde o roteador é instalado tem grande influência na forma com que o sinal da rede wireless é transmitido, sendo essencial mantê-lo em uma área central, de forma que a velocidade seja distribuída pelo espaço igualmente.

Além disso, é essencial para a melhor qualidade do sinal que o roteador seja instalado em lugares altos e livres de obstáculos, mantendo, sempre, as antenas para cima. Assim, reduz-se a possibilidade de ter móveis e paredes causando interferência, garantindo a melhor qualidade de sinal.

3- Aparelhos que causam interferência:

Não são apenas as construções e móveis que podem causar interferência na rede wireless. Ela também pode ser causada por diferentes aparelhos, comuns a maioria das empresas, como, por exemplo, telefones sem fio, microondas e outros roteadores.

O ideal para evitar essa interferência é comprar aparelhos com frequências diferentes da apresentada pelo roteador. No entanto, comprar novos aparelhos nem sempre é uma opção, caso nos quais se aconselha posicioná-los o mais longe possível, o que, muitas vezes, é o suficiente para solucionar o problema.

4- Segurança:

A principal forma de restrição de acesso a redes wireless é a utilização de senhas que, se não forem fortes o suficiente ou forem de fácil adivinhação, podem ser deduzidas por vizinhos e passantes que vão utilizar o sinal da internet, deixando-a mais lenta. Além disso, o sinal pode ser roubado, ainda, entre as máquinas que dividem a rede, com uma consumindo parte maior da banda larga e limitando o uso das outras.

Existem formas simples para resolver os dois casos, sendo necessário, para o primeiro, apenas trocar o padrão de segurança por um mais avançado, ou seja, escolher senhas fortes, que misturem números e caracteres, alterando-as periodicamente. É aconselhável, também, evitar nomes de rede que indiquem de onde é o sinal, eliminando as chances de alguém tentar adivinhar a senha.

Para o segundo caso, basta utilizar uma ferramenta que já está em quase todos os roteadores Wi-Fi, o QoS (Quality of Service ou simplesmente Qualidade de Serviço), que prioriza a transferência dos dados por protocolos, permitindo definir de que maneira a banda larga será distribuída entre os usuários. Ainda é possível limitar o número de conexões ao seu roteador pelo endereço MAC da placa de rede, de forma que um código seja gerado para cada dispositivo que será conectado à rede. Apesar da difícil configuração, essa é uma medida muito eficiente para empresas que possuem uma rede específica para equipamentos e outra para uso de clientes e funcionários.

5- Escolha a antena certa:

Outro elemento essencial para a qualidade de sinal é o tipo de antena que o roteador possui. Existem dois tipos principais: as tradicionais sem fio, divididas entre omnidirecionais e direcionais, e as adaptativas inteligentes e compactas.

Omnidirecionais - irradiam sinais em todas as direções.
Direcionais - irradiam sinais em uma direção.
Adaptativas inteligentes e compactas - direcionam e transmitem energia para o melhor caminho até o dispositivo de recepção.

O mais aconselhado é buscar antenas adaptativas inteligentes e compactas, uma vez que elas são capazes de amenizar problemas com interferências, aumentam o desempenho e o alcance da rede e oferecem maior eficiência energética. Elas se tornam ainda mais eficazes quando são capazes de configurar ou reconfigurar seu feixe, garantindo cobertura omnidirecional com desempenho direccional dentro de um determinado ambiente.

Conhecer os possíveis problemas que podem ocorrer é essencial para orientar a compra de equipamentos de maior qualidade e para sua instalação de forma corretas, garantindo maior eficiência e qualidade para atender as necessidades do cliente.

 

Seja um parceiro

Posts relacionados

Como a tecnologia 5G irá transformar o Data Center?

A conectividade 5G introduz a ideia da metodologia “muitos para um” no que se refere à conectividade sem fio.

  • Redes | Tempo para ler: 3 min

O que é monitoramento proativo de redes e quais seus benefícios?

As empresas se tornaram dependentes da disponibilidade de seus sistemas. Uma simples falha pode prejudicar seus serviços, causando graves prejuízos financeiros.

  • Redes | Tempo para ler: 3 min

Por que a rede é a última fronteira da automação de TI?

Apesar de a maioria das empresas ainda gerenciar suas redes de forma manual, isso tende a mudar muito em breve.

 

Escreva seu comentário