<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.
  • Westcon-Comstor lança o BlueSky Solutions Markeplace
  • Free Trial SEP Cloud - Alta proteção de endpoints com uma solução intuitiva. Ofereça já para seus clientes.
  • Partner Portal
  • Mantenha os dados seguros em tempos de Transformação Digital - Fortinet
  • Acesse agora
  • Partner Portal
  • _banner-home-mobile_-symantec-sep-cloud.png
  • Mantenha os dados seguros em tempos de Transformação Digital - Fortinet

5 etapas para reestruturar a TI das empresas na era Multicloud

Postado por Equipe Westcon em 7/set/2018 5:00:00

Definir uma infraestrutura mutável e adaptável a diferentes provedores de Nuvem e sistemas tem sido um desafio para as equipes de TI.

 

5 etapas para reestruturar a TI das empresas na era Multicloud

 

 

Multicloud é uma estratégia de adoção de serviços na Nuvem, em que a empresa pode escolher entre diferentes prestadores de serviços para implementar as soluções de Computação em Nuvem. Por meio dela, é possível ter uma plataforma com mais serviços e, consequentemente, maior disponibilidade e flexibilidade.

Nos últimos anos, o uso de Cloud Computing se intensificou entre as empresas, graças à mobilidade, segurança e os baixos custos oferecidos pelos seus serviços. A partir disso, as organizações tornaram-se capazes de inovar em seus ambientes e atingir novos níveis de desempenho.

A Nuvem corporativa se tornou integrada às estratégias de negócios das empresas, proporcionando grandes benefícios. No entanto, o cenário tecnológico continua evoluindo e os ambientes corporativos passaram a ter novas necessidades em relação a suas estratégias de Cloud.

Muitas empresas trabalham atualmente com ambientes híbridos, privados e públicos para serem capazes de manter um nível elevado de performance em seus serviços e, assim, conseguirem entregar produtos e serviços de qualidade a seus clientes.

No entanto, as demandas estão mudando junto às transformações do mercado e, muitas vezes, um único prestador de serviços não é capaz de atender a todas as necessidades internas das empresas.

A Multicloud surge nesse cenário como uma forte aliada das organizações para oferecer uma maior flexibilidade para os negócios. Por meio dela, é possível investir em serviços de Cloud Computing de diferentes prestadores.

 

New Call-to-action

Essa abordagem oferece ambientes de trabalho mais inteligentes, inovadores e eficazes para as empresas que necessitam de maior capacidade. Assim, é possível atender a demandas externas, tendo à disposição mais ferramentas para agir com maior rapidez.

Ainda que forneça diversos benefícios para a empresa, a estratégia de Multicloud demanda alguns desafios para a equipe de TI. É necessário definir uma arquitetura de TI híbrida totalmente inclusiva para a Nuvem. Isso exige uma expansão em amplitude e profundidade, ou seja, para que os aplicativos, sistemas, redes, dados possam funcionar em várias nuvens e infraestruturas.

Devido a isso, fazer com que todos os ativos da empresa trabalharem juntos de forma confiável é um grande desafio para a TI. Por isso, é necessário reestruturar a TI para suportar os ambientes Multicloud utilizados.

Para evoluir a arquitetura de TI da empresa é necessário seguir as seguintes etapas:


1. Rastrear todos os ativos de TI

Primeiramente, é necessário encontrar todos os ativos de TI, até mesmo aqueles que passam despercebidos pela equipe. Os gestores devem concluir uma arquitetura de TI de ponta a ponta e um portfólio completo dos ativos, além de proteger o acesso a eles.

Para que isso seja possível, é necessário contar com sistemas de gerenciamento de ativos de TI, capazes de catalogar e rastrear os ativos da empresa durante seus ciclos de vida.

2. Integrar a arquitetura

Ao trabalhar com um ambiente Multicloud, é necessário realizar um mapeamento constante e as atualizações necessárias. Assim, sempre que um novo aplicativo é adicionado, um processo de verificação deve avaliá-lo. Em seguida, a arquitetura deve ser capaz de se atualizar para que haja integração com o novo aplicativo.


3. Cuidar da segurança

O novo cenário no ambiente corporativo exige abordagens reforçadas de segurança. Uma solução de Rede de Confiança Zero é uma excelente opção, pois exige a autenticação dos usuários, antes que eles possam acessar os dados.


4. Incluir federação de Nuvem na arquitetura

A arquitetura de TI da empresa deve cobrir instâncias de Nuvens, trocando dados entre si. No entanto, é preciso arquitetar as trocas de dados ao trabalhar com diferentes provedores.

Os padrões de troca entre diferentes provedores ainda está evoluindo, por isso, a empresa precisa incluir Middlewares independentes, que são softwares capazes de integrar aplicações complexas e trazer maior agilidade para os processos. Dessa forma, é possível extrair e enviar dados entre os diferentes tipos de Nuvem e seus sistemas locais.


5. Criar sandbox de proteção de desenvolvimento de aplicativos

O Sandbox é uma ferramenta simples que isola a execução de programas, tornando possível testar as operações em um ambiente seguro. Por meio dessa ferramenta, a TI pode criar sandboxs de desenvolvimento para realizar testes de aplicativos e soluções. Assim, os aplicativo testado no sandbox pode ser movido para ambientes de teste e produção mais formais com maior segurança.

As empresas devem estar preparadas para acompanhar as evoluções dos ambientes na era da Multicloud, adaptando suas infraestruturas para serem mais fluidas e mutáveis. Os principais pontos a serem considerados são o controle de todos os ativos da empresa e das atividades dos usuários finais no sistema. Investir em mecanismos de automação e segurança também é indispensável para mover dados entre diferentes Nuvens e sistemas locais.

Categoria(s): Cloud Computing