<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

5 etapas essenciais para testar a segurança da rede corporativa

  • Categoria:

    Segurança

    | Tempo para ler: 4 min

  • Categoria:

    Redes

    | Tempo para ler: 4 min

Saiba como garantir a proteção de dados por meio de testes de invasão que simulam ciberataques e descubra as vulnerabilidades de seus clientes. 

 

5 etapas essenciais para testar a segurança da rede corporativa

 

Muitas empresas ainda não estão preparadas para os ataques modernos, que têm atingido cada vez mais as redes corporativas e conseguido roubar informações, interromper a produção e causar muitos prejuízos. Esses ataques mais sofisticados focam as vulnerabilidades das redes e são mais difíceis de serem detectados.

Para não correr o risco de ter sua rede invadida, as empresas precisam utilizar ferramentas eficientes de proteção, além de contar com políticas de segurança da informação para conscientizar todos os seus colaboradores.

As informações que uma corporação possui são essenciais para os negócios, pois tornam possível o crescimento e a competitividade no mercado. Portanto é fundamental possuir um conjunto de normas e regras relacionadas a elas.

Ao implementar as políticas da informação, é preciso levar em conta as necessidades da empresa, para que seja possível alinhá-las às demandas de cada negócio e ao preparo da equipe de segurança, realizando as manutenções e atualizações das ferramentas conforme seja necessário.

Além disso, a TI deve possuir mecanismos para detectar previamente eventos suspeitos na rede, como ferramentas específicas de segurança e a realização de testes. Dessa forma, é possível elaborar ações predeterminadas e testadas para situações adversas e criar, assim, a padronização dos processos.

A partir disso, as empresas podem analisar e qualificar os possíveis riscos à rede corporativa, além de conseguir apontar as normas de segurança mais eficientes para os negócios e, ainda, identificar e corrigir falhas nos processos internos.

Realizar testes de invasão é outra medida necessária para a prevenção de incidentes contra ataques a rede, sistemas e aplicações web. Eles fazem buscas e avaliações da segurança dos dados da empresa por meio de simulações de ataques.

O principal objetivo dos testes de invasão é identificar possíveis pontos de vulnerabilidade na segurança da rede a partir de técnicas e ferramentas de ataque. O processo é realizado em 5 etapas, confira quais são elas:

1 - Coleta de informações

A primeira etapa consiste em obter as informações relevantes para realizar o teste de invasão, como a identificação das máquinas ativas na rede, endereço de rede, gateway, entre outras.

Uma das principais técnicas para coletar informações é por meio de um ataque de engenharia social, que realiza o roubo de dados a partir da falsificação de páginas da internet. Outras ferramentas utilizadas são: entrada DNS, IP spoofing, entre outras.

2 - Realização de uma varredura

Após a captura das informações e identificação das vulnerabilidades, é realizada a varredura e mapeamento do ambiente. Nessa fase, o objetivo é identificar hosts ativos, as portas abertas de comunicação com os servidores e onde cada serviço está. As ferramentas de mapeamento detectam as vulnerabilidades do sistema, analisando toda a rede interna com endereços de IP diversos.

3 - Simulação da invasão

Depois de escanear o ambiente e identificar os problemas, é iniciada a execução dessas falhas por meio de códigos específicos, conhecidos como exploits. Eles agem por meio de um código aberto e acessam remotamente uma máquina, sem a necessidade de qualquer tipo de autenticação.

As principais formas de realizar as invasões são: execução de exploits, negação de serviço e Sniffings, programas que “farejam” o que se passa na rede.

4 - Manutenção do acesso

Para que o teste tenha sucesso, é necessário cumprir algumas ações no sistema, como coletar as informações sobre o sistema invadido, encontrar arquivos importantes para a invasão e, finalmente, criar backdoors para posteriores acessos ao sistema.

As ferramentas utilizadas permitem a exploração dos sistemas operacionais por meio da implementação dos backdoors, que utilizam plugins próprios para realizar a manutenção do acesso.

5 - Esconder as ações

A finalização do teste consiste em omitir a presença das atividades realizadas na invasão da rede. Assim, é preciso esconder arquivos dentro de outros para evitar a identificação das ações realizadas.

As formas utilizadas para isso normalmente são técnicas como a de tunelamento e da esteganografia, que são capazes de esconder diversos arquivos dentro de imagem e vídeo e possuem ferramentas de limpeza de registros.

Essa etapa é responsável por determinar se os arquivos da rede podem ser usados pelas ferramentas de encobrimento de rastos e para orientar as equipes de TI para criarem ações mais assertivas na segurança.


Há diversas medidas essenciais para que as empresas estejam realmente preparadas para os ciberataques modernos. A realização correta de testes de invasão é uma delas. Por meio deles, é possível detectar os pontos falhos no sistema de segurança e assim corrigi-los para uma efetiva proteção da rede corporativa.

 

 

Saiba como 

Posts relacionados

Como escolher uma solução de segurança de endpoint?

A primeira etapa na escolha da melhor solução de segurança de endpoint é entender o que sua empresa precisa.

Inteligência de ameaças cibernéticas: o que é e qual a importância para empresas?

A inteligência de ameaças cibernéticas ajuda as organizações, dando-lhes insights sobre os mecanismos e implicações das ameaças.

O que considerar na segurança do servidor de uma empresa?

Para manter a disponibilidade e proteção dos dados corporativos é necessário assegurar que toda a infraestrutura esteja protegida contra as ciberameaças.

Escreva seu comentário