<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

5 dicas para reduzir as ameaças à segurança interna

Muitas empresas estão tão focadas em manter cibercriminosos fora de suas redes que acabam se esquecendo dos perigos que vivem dentro da corporação.

 

5 dicas para reduzir as ameaças à segurança interna

 

O cibercrime tem se modernizado mais a cada dia, conseguido invadir sistemas corporativos que contam com soluções de segurança reforçada e roubar informações importantes, causando grandes prejuízos às empresas. Isso tem gerado grandes preocupações para os departamentos de TI que estão em busca de soluções ainda mais inovadoras para blindar a rede corporativa contra os possíveis ciberataques.

No entanto, o que muitas vezes é deixado de lado é a segurança interna da corporação. A preocupação com os riscos internos não ocupa a prioridade da maioria dos profissionais de segurança, que acabam não levando em conta o nível de perigo que um usuário interno pode representar para o ambiente empresarial.

Atualmente, muitas violações de dados são originadas por ameaças internas, por isso, a ideia de que esse perigo é causado apenas por funcionários com más intenções que buscam vazar informações sigilosas deve ser repensada.

Há diversos tipos de ameaças que podem se originar dentro das corporações, desde funcionários que de fato possuem intenções maliciosas, até descuidos de colaboradores distraídos ou sem treinamento e falhas internas.

Para lidar com essa situação e eliminar as ameaças internas, as empresas devem investir em algumas práticas para se proteger. Confira algumas delas:

1. Contar com uma equipe dedicada

É essencial contar com uma equipe especializada para administrar a segurança interna na corporação. Ela deve ser responsável por criar um plano estratégico para determinar as ferramentas e procedimentos que serão utilizados para prevenir, detectar e manipular os possíveis incidentes.

2. Contas temporárias

Muitas vezes, a empresa não consegue ter o real controle de todos os acessos em sua rede, o que pode causar vários problemas, pois não é apenas funcionários que possuem acesso a ela, mas também clientes e fornecedores externos, entre outros.

Dessa forma, é necessário monitorar todos os tipos de acesso e, principalmente, as atividades realizadas por esses agentes externos. Uma estratégia que pode ser utilizada pela equipe de segurança é criar contas temporárias para funcionários terceirizados, utilizadores temporários e estagiários. Assim, é possível determinar uma data em que o acesso irá expirar, o que garante que as contas se tornem inacessíveis após o desligamento do colaborador.

3. Implementar senhas fortes e utilizar autenticação de dois fatores

Todos os usuários devem utilizar senhas fortes e evitar aquelas que são alvos fáceis de criminosos. Além disso, é necessário implementar a autenticação de dois fatores, que acrescenta uma camada adicional de segurança para o acesso aos dados.

Ela exige que os usuários utilizem duas formas de autenticação para acessar a rede corporativa. A primeira forma, normalmente, é a combinação de login e senha. Já a segunda pode variar dependendo do tipo de acesso, como um token por SMS, um código por e-mail, biometria, entre outros recursos.

4. Criar perfis administrativos com acesso privilegiado

É necessário contar com tipos de acessos que consigam monitorar os demais. A equipe de segurança deve criar perfis que possam controlar o que é realizado na rede e possam fazer modificações no sistema que usuários com acesso comum não podem fazer.

5. Realizar backups

O backup de dados é sempre um recurso de proteção de dados importantes com o qual a empresa deve contar. É necessário que sempre exista um plano de recuperação do sistema de arquivos.

Além de monitorar constantemente todos os acessos, a empresa deve fazer auditorias regulares das contas dos usuários. Esse processo ajuda a regular o uso das contas e assegurar que os dados estão sendo protegidos da maneira correta. A segurança exige dedicação exclusiva e monitoramento constante, apenas assim as equipes de segurança irão conseguir realizar a sua tarefa com eficiência.


Saiba Mais

Posts relacionados

Como escolher uma solução de segurança de endpoint?

A primeira etapa na escolha da melhor solução de segurança de endpoint é entender o que sua empresa precisa.

Inteligência de ameaças cibernéticas: o que é e qual a importância para empresas?

A inteligência de ameaças cibernéticas ajuda as organizações, dando-lhes insights sobre os mecanismos e implicações das ameaças.

O que considerar na segurança do servidor de uma empresa?

Para manter a disponibilidade e proteção dos dados corporativos é necessário assegurar que toda a infraestrutura esteja protegida contra as ciberameaças.

Escreva seu comentário