<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

5 dicas essenciais para gerenciar dados em um ambiente multicloud

Trabalhar com diversos modelos de nuvem tem aumentado a complexidade das estratégias de gerenciamento nas empresas. Saber como resolver esse problema é essencial.

 

5 dicas essenciais para gerenciar dados em um ambiente multicloud

 

A nuvem fornece uma forma simples e segura para se acessar e gerenciar dados e arquivos e, após a transformação digital, em que as corporações estão na corrida para se aprimorar e adotar as novas tecnologias do mercado, o ambiente virtual tem se tornado parte essencial das estratégias de negócios.

Muitas empresas optam por combinar serviços em ambientes híbridos e usam nuvens públicas, privadas e, também, infraestruturas locais. Devido a essa complexidade de ambientes, tem se tornado essencial que a TI assuma o papel de implementar uma estratégia de gerenciamento abrangente de Cloud Computing.

Diversos requisitos devem ser considerados em um bom gerenciamento, como custos, planejamento de capacidade, segurança e outras condições. Por isso, é importante utilizar ferramentas com multifuncionalidades que sejam capazes de aplicar políticas e automatizar e orquestrar serviços em todos os ambientes.

O monitoramento de dados e workloads são requisitos essenciais de uma estratégia bem-sucedida de multicloud, pois, sem uma gestão adequada do grande volume de informações que as empresas possuem atualmente, o ambiente pode acabar gerando mais gastos e riscos aos negócios.

Ao escolher as ferramentas que mais se adequam às necessidades da empresa, é necessário levar em consideração 5 dicas para maximizar os benefícios de um ambiente híbrido:

1. Visibilidade de dados

Por meio da nuvem, todos os colaboradores de uma empresa conseguem acessar facilmente os dados corporativos. Devido a isso, é importante reforçar a proteção e controlar os acessos dos usuários, atendendo aos requisitos de conformidade em relação ao armazenamento e gerenciamento de suas informações.

Definir uma visibilidade dos dados é o primeiro passo para torná-los acessíveis em todo o ambiente virtual e ainda atender à conformidade sem que a corporação passe por algum risco na segurança.

2. Portabilidade de dados

Indisponibilidades na nuvem acontecem e as empresas precisam estar preparadas. Por isso, ao criar uma estratégia de múltiplas nuvens, é necessário incluir a capacidade de migrar dados para a nuvem escolhida e, ainda, a capacidade de transportar as informações para outra plataforma, mesmo que seja dentro do próprio Data Center.

3. Recursos de armazenamento definido por software

O grande volume de dados novos gerados pela IoT implica em maiores gastos e dificuldade de atender as necessidades de armazenamento e análise. Essa tarefa se torna ainda mais complexa quando as informações estão em múltiplos ambientes na nuvem que possuem requisitos e protocolos de conexão diferentes.

Ao utilizar recursos SDS (Software-Defined Storage) para estender o armazenamento para várias nuvens é possível que a empresa otimize seu desempenho e os gastos de Storage. O SDS potencializa o provisionamento dos recursos de armazenamento na nuvem e fornece uma forma segura de gerenciar os custos com as implementações nas nuvens.

4. Questões de conformidade

As obrigações e regulamentações para estar em conformidade tem se tornado cada dia mais complexas e rigorosas. Sem uma política de dados documentada, o processo fica ainda mais complexo devido ao ambiente fragmentado em múltiplas nuvens. Por isso, as empresas precisam transformar sua rotina de trabalho, adotando medidas de auditorias e regulamentações legais reforçadas.

5. Proteção de dados

Muitas empresas ainda acreditam na ideia de que a redundância existente na nuvem é suficiente para proteger suas informações e acabam não se preocupando com backups e recuperação de dados virtuais.

Além disso, muitas vezes, utilizam ferramentas diferentes de proteção em cada nuvem, o que também não é adequado para esses ambientes. Por isso para contar com uma proteção efetiva dos dados, as corporações precisam garantir a confiabilidade, desempenho e disponibilidade por meio de uma estratégia de proteção abrangente ao invés de utilizar diferentes produtos pontuais para atender diferentes silos.

Muitas empresas estão optando por trabalhar com infraestruturas de nuvem múltiplas, entretanto, para poderem aproveitar todos os benefícios de cada plataforma é necessário contar com uma equipe preparada, além de ferramentas de gerenciamento eficientes e uma estratégia direcionada a esse tipo de ambiente. Apenas assim, será possível que elas consigam atender às novas demandas do mercado, ao mesmo tempo em que reduzem custos e riscos.

 

 

Baixar agora

Posts relacionados

3 dicas para melhorar a segurança do provedor de Nuvem

Identificar ameaças e estabelecer políticas internas de segurança são essenciais para melhorar a segurança do provedor de Nuvem.

Qual a Nuvem ideal para o negócio de seus clientes?

Cada modelo de Nuvem traz suas vantagens e desvantagens.

Edge Computing: como se relaciona com a Nuvem e quais os benefícios?

Essa abordagem surgiu para ajudar as empresas a atenderem às novas demandas tecnológicas que surgem no mercado diariamente. Aprender a utilizá-la é um grande diferencial.

Escreva seu comentário