<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

4 questões que toda equipe de operação de redes deve ficar atenta

  • Categoria:

    Redes

    | Tempo para ler: 4 min

Veja quais são os pontos que mais merecem atenção e quais falhas costumam apresentar.

 

4 questões que toda equipe de operação de redes deve ficar atenta

 

 

Não são apenas os softwares, hardwares e dispositivos que sofreram grandes transformações nas últimas décadas. Quando o assunto é tecnologia da informação, alguns conceitos de conectividade e desempenho foram amplamente testados e utilizados e tiveram também que evoluir. Isso pode ser visto com a rede de comutação, responsável pelo encaminhamento das informações. Há 25 anos, quando surgiu, a rede comutada era limitada a poucos dispositivos e um número ínfimo de pacotes. Atualmente, contudo, com o aparecimento e crescimento da internet das coisas (IoT), dos dispositivos pessoais, como smartphones e tablets, o número de pessoas e coisas conectadas aumentou exponencialmente.

Lidar com um número amplo de conexões seguras já parece bem desafiador, o que dizer então de conexões que podem operar na rede sem o “consentimento” da própria rede? O resultado oferece riscos devastadores à segurança e, por conseguinte, à toda operação de uma empresa, por exemplo.

É pela reunião desses riscos potenciais que selecionamos as 4 principais questões que merecem atenção por parte de operadores de rede, do ponto de vista dos problemas e seus sintomas. São elas: conectividade; autenticação e endereçamento; roteamento e eficiência.


1 – CONECTIVIDADE

 

• Falha intermitente: se a conexão é via cabo, é necessário verificar duas questões principais. Se a falha é do cabo, o mesmo pode ser comprido demais ou oferecer muita resistência. Também pode ocorrer, em redes energizadas (PoE), que o equipamento que atende como fonte de energia (Power Supply Equipment, PSE) não suporte tantos dispositivos energizados (Powered Device, PD). Este último caso é possível, por exemplo, em redes que sustentam câmeras de vigilância.

• Não consegue energizar: também em redes energizadas, isso pode ocorrer quando há rompimento ou curto-circuito no cabo da rede, incompatibilidade entre a fonte de energia e o equipamento energizado, cabo com pares erroneamente configurados ou com suporte a resistência incompatível e, por último, quando a fonte de energia não é capaz de suportar todos os PDs.

• Velocidade de ligação menor que a ideal: Pode ocorrer também por falha no cabo ou configuração incorreta de ligação entre o comutador e o NIC (Network Interface Card). 

 

Baixar agora


2 – AUTENTICAÇÃO E ENDEREÇAMENTO


• Não consegue obter endereço IP: muito comum, esse problema pode aparecer por dois motivos distintos. Ele pode estar relacionado diretamente a um problema de autenticação ou de rede. Se for o caso de autenticação, as possíveis causas podem estar relacionadas à configuração incorreta do protocolo de autenticação, uso de certificado incorreto, banco de endereços IP insuficientes ou quando não há configuração de dispositivo final no servidor de autenticação. Por fim, caso o problema esteja relacionado à rede, o servidor DHCP não está disponível a partir da VLAN.

• Endereço IP incorreto: isso pode ocorrer quando a VLAN está atribuída errada. O servidor DHCP incorreto ou não autorizado fornece um endereço IP mesmo quando vários servidores DHCP estão presentes.


3 – ROTEAMENTO


• Usuários da VLAN não podem se conectar à intranet: se isso acontecer, verifique se há falha de endereço IP ou DNS padrão. Outra possível causa é o roteador estar numa distância muito grande ou ter falhado. Por último, pode haver excesso de assinaturas.

• Usuários da VLAN não podem se conectar à internet: assim como quando ocorre com o roteador, também pode ser causado devido a distância ou falha do DNS. Além disso, a porta do roteador, o link para a internet ou o NAT (Network Address Translation) podem ter falhado.

• Alguns aplicativos não executam: provavelmente, neste caso, o roteador bloqueou a porta de protocolo requerida pelo software.


4 – EFICIÊNCIA


• Desempenho lento de um aplicativo: se for o caso de um aplicativo disponível localmente, provavelmente a rede que vai até o servidor está com problema. Agora, se for o caso de mal desempenho de um aplicativo online, o fluxo deste sistema da internet deve estar bloqueado.

• Usuários de uma mesma VLAN estão com desempenho ruim: quando isso ocorre, é possível que haja um problema de provisionamento de grupo da VLAN ou mesmo um problema de caminho de rede da VLAN aos aplicativos observados.

• Um usuário com problema com um aplicativo: neste caso, é provável que haja problema no próprio dispositivo utilizado pelo usuário ou na configuração da conta. Além dessas questões, pode haver ainda um problema de conectividade do cliente à rede, principalmente se a conexão for feita via Wi-Fi.

 

Posts relacionados

Como a tecnologia 5G irá transformar o Data Center?

A conectividade 5G introduz a ideia da metodologia “muitos para um” no que se refere à conectividade sem fio.

  • Redes | Tempo para ler: 3 min

O que é monitoramento proativo de redes e quais seus benefícios?

As empresas se tornaram dependentes da disponibilidade de seus sistemas. Uma simples falha pode prejudicar seus serviços, causando graves prejuízos financeiros.

  • Redes | Tempo para ler: 3 min

Por que a rede é a última fronteira da automação de TI?

Apesar de a maioria das empresas ainda gerenciar suas redes de forma manual, isso tende a mudar muito em breve.

 

Escreva seu comentário