<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL SYNNEX WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

3 erros no cálculo do ROI na adoção de Cloud Computing

Esse processo exige muito preparo e planejamento das empresas. Portanto, para acertar no cálculo é necessário evitar algumas falhas.

 

Realizar a migração de sistemas locais para Cloud Computing já é uma prática comum entre as empresas devido aos seus inúmeros benefícios, como maior segurança, flexibilidade, escalabilidade, redução de custos, entre outros.

No entanto, como toda mudança estrutural realizada em uma organização, a adoção de serviços na Nuvem envolve um planejamento e investimento. A empresa deve organizar seus ativos para decidir o que será movido para o ambiente virtual e, assim, definir os custos envolvidos no processo.

É necessário se certificar de que o capital aplicado gere os resultados desejados. Portanto, a empresa deve realizar o cálculo do ROI (Retorno sobre o Investimento) da Cloud Computing e acompanhar de perto a evolução do processo.

O efetivo cálculo do ROI da Cloud é fundamental a fim de evitar que o projeto seja mal-sucedido por falta de planejamento, o que pode trazer diversos prejuízos financeiros para os negócios.

Portanto, para que não haja dúvidas sobre como realizar esse cálculo, é necessário que as empresas conheçam os principais erros cometidos no processo para evitá-los. Confira!

Qual a importância do cálculo do ROI?

O ROI (Retorno sobre o Investimento) é uma ferramenta indispensável para qualquer projeto de uma organização. Ele viabiliza o negócio, mede sua eficiência e é capaz de mensurar o custo-benefício de cada empreendimento realizado.

Ao adotar a Nuvem em suas operações, o ROI é de extrema importância, pois permite que as corporações entendam melhor o quanto esse processo pode representar para a redução de custos e melhorias na produção.

Graças a esse cálculo, é possível avaliar se os investimentos estão sendo assertivos ou se há possíveis riscos e falhas no projeto que precisam ser reparados.

Na teoria, a fórmula para se calcular o ROI é bem simples: ROI = (Ganho obtido - Investimento Inicial) / Investimento inicial. No entanto, mensurar os valores de investimento inicial e o ganho obtido com a utilização da Nuvem exige diversos cuidados.

Será necessário que a organização realize um planejamento para definir o que será migrado, como, quando e quais serão as integrações necessárias. Além disso, é preciso pensar quais soluções serão usadas, além das combinações entre nuvens públicas, privadas e híbridas. Tudo isso deve estar no planejamento da adoção de serviços na Cloud para facilitar o cálculo do ROI.

Conheça o K•NOW!

3 erros no cálculo do ROI na adoção de Cloud Computing

Agora que você já sabe a importância de se realizar o cálculo do ROI da Cloud Computing, é necessário conhecer os principais erros cometidos no processo para evitá-los em sua organização.

Muitas empresas acreditam que a redução de gastos com a compra de hardwares e softwares seja o único fator a ser considerado na adoção da Nuvem, o que acaba levando a um cálculo errôneo do ROI. A migração envolve muito mais questões e pode trazer inúmeros resultados positivos para os negócios.

Conheça os erros mais cometidos:

1. Negligenciar a cibersegurança

A segurança dos dados e sistemas corporativos deve ser tema principal da migração para a Nuvem. As soluções precisam ser pensadas desde o início do processo.

Devido a isso, acabam se preocupando com esse item apenas na fase de operacionalização, o que pode acarretar em inúmeros erros. A proteção deve ser considerada em todas as camadas da aplicação à plataforma e, por isso, entrar no cálculo do ROI desde o início.

2. Equivocar-se na definição dos objetivos

Diversas empresas iniciam a migração de seus dados e aplicações para a Cloud por considerarem seus benefícios de uma forma geral. O problema é que, muitas vezes, não entendem, de fato, como o ambiente virtual pode contribuir para a melhoria de seus processos.

Apenas definindo objetivos claros com os investimentos em Cloud Computing será possível tomar as decisões corretas sobre quais aplicações devem ser movidas e para onde, além de como cada serviço será utilizado. Isso é fundamental para se calcular o ROI de forma assertiva.

3. Não analisar os custos de operação

Outro grande erro cometido no cálculo do ROI é não considerar os custos de operação. Há a possibilidade de novos gastos surgirem conforme as demandas nas estruturas em Nuvem aumentarem.

Por isso é fundamental que a empresa tenha um sistema de gestão e análise de custos operacionais para compreender as variações para que os cálculos sejam atualizados corretamente.

Para ter um real retorno do investimento, a empresa deve considerar os aspectos de seu negócio e em como a Nuvem pode trazer benefícios reais para seu dia a dia. Portanto, para realizar um cálculo do ROI sem erros, é necessário separar a ilusão da realidade.

Posts relacionados

4 passos para ter sucesso no gerenciamento de Hybrid Cloud

Realizar a gestão de diversos serviços em Nuvem ao mesmo tempo é desafiador. Entenda como fazer isso de forma bem-sucedida.

Como a Cloud Computing pode ajudar o setor da educação em tempos de coronavírus?

Para as instituições de ensino que estão precisando utilizar a metodologia EAD, um dos principais benefícios da tecnologia em Nuvem é a economia de tempo e dinheiro.

5 dicas infalíveis para aprimorar a venda de soluções na Nuvem

Apresentar os benefícios da Cloud é essencial para o fechar um negócio e aumentar o lucro das revendas.

Escreva seu comentário