<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

3 dicas para reduzir riscos na conformidade de dados

  • Categoria:

    Big Data

    | Tempo para ler: 2 min

O uso de Big Data pelas corporações tem aumentado a quantidade e complexidade dos dados. Confira três etapas a serem adotadas por sua equipe para evitar as preocupações com conformidade.

 

26_01_Blog_West-[700x165].jpg


A origem dos dados utilizados é cada vez mais variada - de videos, fotos, registros de áudio, fornecedores, clientes, entre outros. Os analistas de dados executam uma “limpeza” dessas informações para encontrar as respostas que a empresa procura para conseguir aprimorar os negócios. Porém, durante o processo, eles se modificam e ganham novos formatos, tornando para a TI uma tarefa complicada executar a conformidade desses dados devido às constantes transformações

 

Para tentar lidar com a situação, gestores de TI podem criar uma estrutura corporativa que aborde amplamente todos os dados, sistemas, usuários, além de classificar se as informações podem ser consideradas confiáveis.  O grande desafio de conformidade de dados é formular uma estrutura corporativa para lidar com essas informações.

 

Outra preocupação no processo está relacionada à avaliação e cuidado com riscos que podem surgir com o Big Data, como a proteção de propriedade intelectual e as devidas divulgações legais que devem ser feitas. Ao desenvolver suas políticas, as organizações precisam estar atentas a esses detalhes, além de procurar auditorias para aconselhamento legal.

 

Ao estabelecer uma estrutura de conformidade em torno de Big Data, algumas medidas ajudam a empresa a proteger seus sistemas e dados. Confira três passos importantes:

 

1 - Avaliar o empenho da conformidade de dados

Muitas vezes, algumas empresas, ao criarem um plano de proteção de dados, seguem diretrizes de TI prontas sobre segurança e privacidade de grandes empresas, porém, dessa forma, não é possível abordar a singularidade e especificidades das transformações de dados que cada corporação lida. Por isso, cada companhia precisa definir suas próprias abordagens de segurança, além de determinar os pontos em que a conformidade será aplicada, como e porque ela será aplicada.

 

2 - Analisar como a proteção dos documentos é realizada

Os registros da corporação devem ser armazenados de forma segura, pois algumas dessas informações podem ser altamente sensíveis, como aquelas que incluem registros financeiros, informações pessoais de colaboradores e clientes, segredos comerciais, entre outros. As medidas de segurança padrão devem incluir a limitação de acesso à sala e sistema em que os dados ficam armazenados.

 

3 - Definir novas estratégias de conformidade para o gerenciamento de Big Data

Antigamente, com bancos de dados relacionais e dados estruturados era mais fácil identificar e recuperar informações. Agora, com o Big Data, as informações podem ser desestruturadas e imprevisíveis, o que torna a tarefa de lidar com dados sensíveis mais complicada. Eles requerem diretrizes reguladoras de proteção, por isso, é importante definir novas estratégias para o gerenciamento de conformidade.


Há muitos outros aspectos para lidar com projetos de Big Data de forma correta e medidas emergentes de conformidade específicas. Os gestores de TI devem acompanhar as evoluções e ficarem atentos à medida que novos aspectos se desenvolvem.

 

Conheça a ForeScout

Posts relacionados

5 dicas para ter sucesso com Big Data

Toda organização possui dados massivos que aumentam a cada minuto. Entenda como administrá-los.

7 tendências de Big Data que estão impactando as empresas

O Big Data ajuda as organizações que têm responsabilidades críticas em tornar o mundo um lugar melhor para aprimorar seu trabalho.

Como o gerenciamento de riscos pode ajudar a proteger a IoT e Big Data?

O algoritmo na análise de risco usa uma classificação de critérios de segurança industrial que determinam quais áreas da infraestrutura de IoT industrial estão em maior risco para um ciberataque.

 

Escreva seu comentário