<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1159528794088341&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

CANAL WESTCON
Toda informação da tecnologia está aqui.

3 dicas para melhorar a segurança do provedor de Nuvem

Identificar ameaças e estabelecer políticas internas de segurança são essenciais para melhorar a segurança do provedor de Nuvem.

 

Não é novidade que diversas empresas de variados portes estão aderindo à computação em nuvem para melhorarem a gestão de suas aplicações. De modo geral, a nuvem permite que a empresa tenha flexibilidade, escalabilidade, agilidade e outras características difíceis de se encontrar sem essa tecnologia.

Entretanto, a nuvem também possui alguns fatores que podem ser preocupantes e desafiadores aos profissionais de TI. Conhecer o lado positivo e o negativo da computação em nuvem é essencial para uma conversa franca com os seus clientes, assim como para o exercício de lidar com as objeções feitas por eles. Para descobrir qual é a maior preocupação dos especialistas e como fazer para resolvê-la, continue lendo nosso artigo até o final.

Qual é a maior preocupação do time de TI quanto à computação em nuvem?

Em uma pesquisa solicitada pela AlgoSec e feita pela Cloud Security Alliance, a segurança da computação em nuvem foi a maior preocupação entre os 700 profissionais de TI participantes. Cerca de 81% deles demonstrou um receio considerável no que diz respeito à segurança na hora de mover os dados para uma plataforma de nuvem pública.

O maior medo dos profissionais foi o risco de ter informações e dados sigilosos vazados ou perdidos, sejam eles da empresa ou dos clientes. Além disso, eles também demonstraram insegurança com relação à execução de aplicativos na nuvem pública, como a corrupção dos dados, as invasões nas áreas vulneráveis, os acessos não autorizados, entre outros.

O ideal seria que a computação em nuvem reduzisse o esforço da empresa no que diz respeito ao gerenciamento de aplicativos e outros programas. No entanto, o time de TI ainda necessita da gestão de segurança de nuvem pública, uma atividade que possui as suas próprias complexidades.
Saber detectar de forma proativa algum tipo de configuração errada ou riscos de segurança envolvendo os provedores de nuvem pública é um dos maiores desafios enfrentados pelos profissionais da Tecnologia da Informação.

 

New call-to-action

 

Além disso, outros obstáculos, como a falta de visibilidade da nuvem por inteiro, o gerenciamento de nuvem híbrida e a preparação para auditoria também foram comentados pelos participantes do estudo. Inclusive, a questão dos ambientes com diversas nuvens é algo que realmente preocupa os profissionais. Ter mais de um provedor possui vários benefícios, mas a verdade é que isso também acrescenta algumas complicações.

De todos que foram entrevistados, 66% afirmaram depender de diversos provedores de nuvem e 35% mencionaram usar 3 ou mais. Isso aumenta ainda mais a complexidade que envolve misturar a nuvem pública com a nuvem privada. Aproximadamente 55% dos profissionais confirmaram que na computação em nuvem utilizam essa combinação de nuvem híbrida ou multi-nuvem.

Os resultados do estudo mostram ser fundamental que as organizações tenham um bom gerenciamento de nuvens nos ambientes híbridos complexos para manter uma segurança eficaz e diminuir o índice de configurações erradas, além de manter a conformidade no atendimento às solicitações da auditoria.

Conheça agora 3 dicas para melhorar a segurança do provedor de nuvem

Agora que você sabe quais são os maiores medos e preocupações com relação à segurança da computação em nuvem, está na hora de ficar por dentro de como melhorar a segurança dos provedores. Confira a seguir:

1- Identifique as configurações erradas e as ameaças

É essencial que os provedores de nuvem não parem de adicionar recursos e capacidades que colaborem para a segurança dos serviços.
Sempre que isso acontecer, é fundamental informar às empresas para que elas saibam das atualizações. Além disso, os clientes precisam ser avisados imediatamente sobre possíveis erros de configuração ou outros recursos relacionados à cloud.

2- Estabeleça políticas internas de segurança

É claro que as empresas devem dividir as responsabilidades ligadas à segurança com os provedores de nuvem. Contudo, é preciso que elas saibam fazer esse gerenciamento de forma interna, ou seja, deixem que um setor fique responsável por determinar as políticas de segurança em nuvem.
Isso é muito importante para conscientizar e ensinar como funciona o sistema em nuvem para os outros colaboradores, a fim de que todos fiquem alinhados.

3- Automatize as ferramentas de segurança

Automatizar alguns elementos de segurança pode ser muito bom, principalmente em ambientes mais complexos. Existem diversas ferramentas de automação que realizam funções bem variadas, como agregar dados, registrar atividades e detectar ameaças.
Isso faz com que acessos não permitidos, violações de conformidade, configurações incorretas e brechas na segurança sejam detectadas de forma muito mais rápida, fazendo com que o profissional não perca tempo.

A computação em nuvem é muito vantajosa para os negócios, mas possui desafios como qualquer outra tecnologia. Entretanto, como você comprovou pelas nossas dicas, é possível prevenir e resolver esses problemas. Não deixe que seu cliente abra mão desse recurso apenas por insegurança.

Posts relacionados

Estratégia de segurança em Nuvem: o que as empresas precisam saber para se proteger?

Como você pode ter certeza de que as informações armazenadas na Nuvem são seguras? Mesmo não havendo certeza, é possível tomar algumas precauções.

5 dicas para seu canal de TI vender soluções SaaS

Saiba como otimizar suas as estratégias de vendas de softwares como serviço ao oferecer exatamente o que os clientes precisam.

Como o 5G irá impactar o uso de Cloud Computing?

A tecnologia 5G está cada dia mais próxima de se tornar uma realidade. Veja como ela poderá ser um grande diferencial para as aplicações na Nuvem.

Escreva seu comentário